Publicado 14 de Agosto de 2018 - 10h10

Por Agência Anhanguera

FLAIZA MAÍSA foi internada no último domingo no Hospital Mário Gatti após ser vítima de bala ao sair de uma choperia no Campo Belo

Cedoc/RAC

FLAIZA MAÍSA foi internada no último domingo no Hospital Mário Gatti após ser vítima de bala ao sair de uma choperia no Campo Belo

O Hospital Municipal Doutor Mário Gatti confirmou a morte da menina Flaiza Maísa Meneses Rosa, de 10 anos, no início da tarde de ontem. A garota foi atingida por um tiro na madrugada do último domingo, em um bar no bairro Jardim Campo Belo, em Campinas. De acordo com o Boletim de Ocorrência (BO) registrado na Polícia Civil, a criança foi baleada na cabeça por volta das 3h. Os pais da vítima são empresários na região e donos de uma choperia.

De acordo com informações prestadas pela família à polícia, eles foram convidados para ir até um bar, de nome Point, no mesmo bairro, logo após encerrarem o expediente na choperia da qual são donos. Quando deixavam o local, foram abordados por três homens que permaneciam do outro lado da rua, em frente à choperia. Sem entender a situação, a família começou a entrar no carro mais rapidamente, temendo alguma abordagem com objetivo de assalto. Foi naquela hora que Fillipe (um amigo da família) e Flaiza foram atingidos.

A garota foi levada ao Hospital Mário Gatti e encaminhada à UTI pediátrica da unidade. Ela chegou a passar por uma cirurgia no domingo, mas não resistiu aos ferimentos e morreu no começo da manhã de ontem. Por sua vez, Fellipe passa bem e já teve alta.

De acordo ainda com a Polícia Civil, nem a menina e nem o rapaz seriam os alvos dos criminosos. O caso foi registrado como tentativa de homicídio e agora passa a ser investigado como assassinato, já que a garota não resistiu aos ferimos e foi a óbito. Os agentes da Polícia Civil investigam os motivos que levaram ao crime, bem como, quem eram os atiradores e qual era realmente a vítima dos assassinos, que ainda não foram descobertos. A polícia investiga o caso.

Segurança

Somente neste ano, Campinas registrou uma média de seis casos de tentativa de homicídio por mês. Dados realizados pela Secretaria Estadual de Segurança Pública (SSP-SP) apontam que a cidade contabilizou 42 ocorrências do tipo entre janeiro e junho, seis a mais que no mesmo período do ano passado.

Já o número de homicídios dolosos, quando há intenção, chegou a 137 no último ano inteiro. De janeiro a junho desde ano, de acordo com as estatísticas oficiais da Secretaria de Segurança, os homicídios somam 66.

Até ontem, por volta das 19h, a polícia não havia prendido nenhum suspeito. Várias diligências estão em curso, mas a polícia não revela ainda com a sua principal linha de investigação. 

Escrito por:

Agência Anhanguera