Publicado 27 de Fevereiro de 2018 - 14h22

Por Adriana Villar

Beatriz Maineti,

especial Agência Anhanguera

[email protected]

A instabilidade no clima na região de Campinas continua presente e, mais uma vez, levou os cidadãos a tirarem seus casacos e guarda-chuvas do armário. Depois de um dezembro e janeiro com volume de chuva abaixo da média, a semana começou com pancadas de chuva e temporais, além da frente fria que acompanha as chuvas. As pancadas de chuva e temporais são característicos do verão, e não apontam qualquer anormalidade. Entretanto, a instabilidade deve permanecer até sexta-feira (02), e mais chuvas podem vir durante o final de semana. Desde 2014, quando houve a seca na região, não há um grande volume de chuvas, apenas dentro da média.

De acordo com o Centro de Pesquisas Meteorológicas e Climáticas Aplicadas a Agricultura (Cepagri), da Unicamp, o tempo na região de Campinas irá variar entre nublado e parcialmente nublado, com pancadas de chuvas que podem ser localmente fortes. Segundo a meteorologista do Cepagri, Ana Avila, as pancadas de chuva não devem ultrapassar o esperado. “Não prevemos chuvas generalizadas, apenas com força local”, afirma a meteorologista. Segundo a previsão do Cepagri, a temperatura máxima dos próximos dias não deve passar dos 30ºC, e a mínima pode chegar a 19ºC durante a tarde. Na quinta-feira (01), a previsão é de que a mínima chegue a 18ºC.

A previsão não aponta chuvas gerais para nenhum dos dias, mas existe a probabilidade de temporais até quinta-feira. Segundo a previsão, a umidade relativa do ar pode chegar a 40%, o que melhora a condição de respiração dos moradores da cidade. A meteorologista do Cepagri afirma que é possível que o sol apareça durante esses dias, mas a instabilidade climática não deve permitir que ele fique por muito tempo. “Podemos ter períodos de sol, seguidos por chuvas, principalmente no período da tarde”, afirma Ana. A estação meteorológica do Cepagri/Feagri afirma que a chuva esperada, historicamente, para o mês de janeiro era de 280,3 mm, e a de fevereiro era de 215,3 mm, que são os meses com mais expectativa de chuva, devido ao verão. Já para março, a médica historicamente esperada é menor, chegando a 162,3 mm. Os números do índice de chuva de janeiro e fevereiro de 2018 estão sendo contabilizados.

Escrito por:

Adriana Villar