Publicado 26 de Fevereiro de 2018 - 16h57

Por Adagoberto F. Baptista

O fraco desempenho que culminou na derrota para o Mirassol por 1 a 0 anteontem, foi motivo de lamentação para o treinador da Ponte Preta, Eduardo Baptista. Depois de uma primeira etapa em que quase não atacou, o comandante acredita que faltou entrar um pouco mais focado dentro de campo.

"Precisava ter começado o jogo mais concentrado, marcando em cima. Entramos muito mal, a criação não foi da maneira que a gente acreditava que poderia ser. Ficamos chateados pela atuação no primeiro tempo", afirmou.

Com boa parte dos jogos sendo disputados quarta-feira e domingo, alguns jogadores têm apontado sinais de cansaço. O técnico alvinegro, entretanto, acredita que isso não pode ser usado como desculpa para o futebol apresentado. "Não podemos falar em estar cansados. Um time que disputa Série A do Paulista e Copa do Brasil tem que passar por isso. É lógico que interfere um pouco, mas não é determinante".

Derrotada, a Ponte permaneceu com dez pontos, mas caiu para a terceira colocação do Grupo B, ultrapassada pelo São Caetano. Apesar disso, Baptista minimizou a posição, ressaltando que o time agora só joga no Majestoso até o fim da primeira fase e precisa fazer disso um fator decisivo. "São mais três jogos em casa, embora um seja com mando do Red Bull, jogaremos no Moisés, então temos que tirar proveito disso para conseguir a classificação que é o grande objetivo".

Agora, a Macaca vira a chave e se prepara para enfrentar o Sampaio Corrêa, pela terceira fase da Copa do Brasil. O confronto da ida está marcado para amanhã, às 19h30, no Moisés Lucarelli. Já a volta, em São Luís, no Maranhão, acontece no dia 15 de março, às 19h15, no estádio Castelão.

Sabendo da força do adversário dentro de seus domínios, o comandante pontepretano espera fazer o resultado em casa, para encaminhar uma classificação à quarta fase. "A gente sabe que jogar lá em São Luís é muito complicado, então é importante conseguir um resultado positivo aqui para levar o jogo para lá em uma boa situação". (Alison Negrinho/AAN)

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista