Publicado 27 de Fevereiro de 2018 - 5h30

Um gari perdeu o controle de seu carro, arrebentou um alambrado e invadiu a área de recreação de uma escola infantil no Jardim Profilurb, distrito do Ouro Verde, em Campinas, na madrugada de ontem. Ninguém se feriu. O acidente ocorreu por volta das 2h, e até as 10h30 o carro permanecia no local aguardando a perícia policial. A área foi fechada, mas as aulas aconteceram normalmente. De acordo com o inspetor da Guarda Municipal (GM), Renato Crissafi, testemunhas contaram que o carro estava na contramão e teria “voado” para o dentro do pátio do Centro de Educação infantil (CEI) Dr. Manoel Alves da Silva, localizada na R. Nelson Barbosa da Silva, paralela à Avenida Suaçuna. No veículo, um Monza, estavam um casal, o irmão do gari e duas crianças. Logo após o acidente, eles deixaram o carro no local e foram embora. “A GM foi chamada por funcionários da escola pouco antes das 7h e, quando chegamos aqui encontramos dentro do carro, os documentos do dono. Aí fomos atrás dele”, contou Crissafi. O alambrado ficou bastante danificado. O veículo chegou a quebrar o galho de uma árvore e caiu sobre um brinquedo do parquinho da escola. Do lado de fora do carro foram achados dois copos de chope e uma lata de cerveja. “Você já viu alguma vez carro voar? Pois eu vi. Na hora pensei que quem estava dentro tinha morrido, mas de repente vi um monte de gente saindo e um menino pequeno que chamava pelo pai”, contou um aposentado de 59 anos, que dormia em um banco perto de onde aconteceu o acidente. O dono do carro foi localizado e levado para o 9 Distrito Policial (DP). Ele alegou que voltava de uma pizzaria com a família quando perdeu a direção e o freio, batendo no alambrado e despencando de uma altura de mais ou menos 3 metros. “Quando vi o carro parado no parquinho da escola, achei que eram bandidos esperando que a gente chegasse. Fiquei com medo, entrei e tranquei as portas. Depois liguei na Guarda Municipal”, contou uma zeladora da escolinha, de 22 anos. “Na hora, só não consegui saber por onde tinham entrado”, falou. Os vizinhos disseram que ouviram um estrondo na madrugada, mas ninguém sabia exatamente o que tinha acontecido. “Não dá para acreditar. O motorista deveria estar correndo muito”, disse uma idosa que mora a cerca de 1 quilômetro da escola e ouviu o barulho. (Alenita Ramirez/AAN)