Publicado 27 de Fevereiro de 2018 - 5h30

A vereadora de Monte Mor Selma Fernandes de Sousa Alves (MDB) e seu marido, o ex-vereador Vitor Maria Alves, tiveram o pedido de habeas corpus indeferido e continuam presos preventivamente. O casal é acusado de reter parte do salário de um ex-assessor.

Eles foram presos na sexta-feira, em uma operação do Ministério Público. O promotor Luis Felipe Delamain Burato denunciou o casal na sexta-feira e o processo corre em segredo de Justiça na 1 Vara da cidade. A Câmara Municipal acatou determinação judicial e suspendeu, ainda na sexta-feira, a vereadora do exercício da função pública. Em nota, o Legislativo informou que “considerando que a prisão da vereadora é em caráter preventivo, a Câmara ainda não tem um posicionamento quanto à convocação de suplente”.

O advogado do casal, Carlos Zatta, afirmou ontem que vai ingressar com novo pedido de revogação da prisão. Ele nega que o casal tenha exigido que o assessor entregasse parte do salário ou que tenha cometido qualquer crime. Segundo Zatta, a denúncia foi uma retaliação do ex-assessor por ter sido demitido. “Ele foi dispensado porque não trabalhava e vamos mostrar isso nos autos”, afirmou. Segundo a denúncia recebida pelo MP, o assessor se recusou a repassar parte do salário à vereadora e vinha sendo ameaçado de demissão desde novembro. A dispensa ocorreu em janeiro, quando ele denunciou o esquema ao Ministério Público. (Maria Teresa Costa/AAN)