Publicado 27 de Fevereiro de 2018 - 12h40

Por AFP

General Cable Corporation(NYSE: BGC) divulgou hoje os resultados

do quarto trimestre finalizado em 31 de dezembro de 2017. Para o

trimestre, o lucro por ação informado foi de US$ 0,31, e o resultado

operacional foi US$ 8 milhões. O lucro ajustado por ação e o lucro

operacional ajustado foram de US$ 0,03 e US$ 20 milhões,

respectivamente, para o trimestre. Consulte a página dois deste

comunicado de imprensa para a reconciliação do que foi publicado sobre

os resultados ajustados e divulgações relacionadas.

Michael T. McDonnell, presidente e diretor executivo, disse: "Nosso

quarto trimestre reflete melhor desempenho na América Latina e exige a

estabilidade dos principais negócios na América do Norte (utilidade

elétrica, construção e automotivo) e na Europa (operações terrestres

prontas para operação). Embora a dinâmica do setor, especialmente na

Europa, e incertezas comerciais resultantes da nossa revisão de

alternativas estratégicas tenham afetado os resultados, nossa

perspectiva para 2018 é positiva com base nas tendências que vimos desde

o início deste ano". McDonnell acrescentou: "Também estamos satisfeitos

por ter recebido a aprovação de nossos acionistas para a fusão pendente

com a Prysmian S.p.A., e continuamos a esperar que a fusão seja

concluída no terceiro trimestre de 2018, sujeita às aprovações

regulamentares e outras condições convencionais".

Resumo

-- Em sua assembleia extraordinária de acionistas, em 16 de fevereiro de 2018, foi anunciada a maioria dos votos expressos, que também representava a maioria das ações ordinárias em circulação Empresa, votando-se para aprovar a adoção do contrato definitivo de fusão previamente anunciado, em cujos termos a Prysmian irá adquirir a General Cable por US$ 30,00 por ação em espécie -- A receita operacional divulgada de US$ 8 milhões foi afetada principalmente por encargos de US$ 15 milhões relacionados à revisão de alternativas estratégicas que resultaram no contrato de fusão definitivo previamente anunciado com a Prysmian -- O lucro operacional ajustado de US$ 20 milhões diminuiu US$ 7 milhões em relação ao ano anterior, uma vez que as economias de reestruturação e a melhoria contínua do desempenho na América Latina foram compensadas por dinâmicas desafiadoras do setor, particularmente na Europa, e combinação desfavorável de produtos na América do Norte -- O fluxo de caixa operacional foi um uso de US$ 39 milhões para o ano completo de 2017, incluindo pagamentos no total de US$ 82 milhões para a resolução de assuntos relacionados à FCPA -- Foi completado o programa de alienações focado na venda ou liquidação de operações não essenciais nas regiões Ásia-Pacífico e na África, gerando receitas totais de aproximadamente US$ 260 milhões de acordo com as expectativas da administração -- Foi mantida liquidez significativa com a disponibilidade de US$ 326 milhões na facilidade de crédito rotativo com base em ativos de US$ 700 milhões da empresa e US$ 85 milhões em caixa e equivalentes de caixa -- O impacto do aumento dos preços dos metais foi um benefício de US$ 4 milhões e US$ 5 milhões no quarto trimestre de 2017 e 2016, respectivamente Demanda do segmento do quarto trimestre

América do Norte - O volume por unidade,

medido em libras de metal vendidas, aumentou 5% em relação ao ano

anterior, impulsionado pela forte demanda de cabos de transmissão aérea

e produtos de construção.

Europa - O volume por unidade, medido em

libras de metal vendidas, aumentou 6% em relação ao ano anterior, já que

uma demanda mais forte por produtos de energia elétrica, incluindo

projetos terrestres prontos para uso, ajudou mais do que a compensar a

baixa atividade de projetos submarinos e a fraqueza nos mercados

industriais e de construção.

América Latina - O volume por unidade,

medido em libras de metal vendidas, caiu 6% em relação ao ano anterior,

impulsionado por gastos irregulares em projetos de infraestrutura

elétrica e construção em toda a região, bem como o impacto das

iniciativas de acesso ao mercado da empresa (focadas na melhoria da

margem). As remessas de cabos de transmissão aérea no Brasil aumentaram

acentuadamente em relação ao ano anterior.

Dívida Líquida

No final de 2017 e 2016, a dívida total foi de US$ 1,086 bilhão e

US$ 939 milhões, respectivamente, e o caixa e equivalentes de caixa

foram de US$ 85 milhões e US$ 101 milhões. O aumento da dívida líquida

foi devido principalmente por pagamentos no valor de US$ 82 milhões

relacionado à resolução de assuntos da FCPA, bem como investimentos em

capital de giro (em parte devido ao aumento dos preços de metais) e

financiamento de ações de reestruturação.

Outros Assuntos - Imposto de Renda

A promulgação da Lei de Impostos e Emprego ("Lei de Reforma Tributária")

prevê uma repatriação tributável única declarada dos ganhos acumulados

no estrangeiro da empresa. Esta repatriação considerada resultou em uma

estimativa preliminar de US$ 46 milhões na despesa de imposto diferido

em não efetivo no quarto trimestre de 2017, já que a receita de

repatriamento foi compensada pelas perdas operacionais líquidas

existentes. Além disso, a Lei de Reforma Tributária prevê a redução da

taxa de imposto sobre o lucro das empresas dos EUA de 35% para 21%, a

partir de 2018. Consequentemente, os ativos e passivos fiscais diferidos

da empresa foram reavaliados no quarto trimestre de 2017, o que resultou

em um benefício fiscal diferido estimado de aproximadamente US$ 62

milhões. Futuramente, a empresa espera que seus ganhos divulgados sejam

afetados favoravelmente pela redução da taxa de imposto nos EUA.

Medidas financeiras não-GAAP

O lucro operacional ajustado (definido como lucro operacional antes dos

encargos extraordinários, não recorrentes ou incomuns e outros itens

determinados), lucros ajustados por ação (definidos como lucros por ação

diluídos antes dos encargos extraordinários, não recorrentes ou incomuns

e outros itens determinados) e dívida líquida (definida como dívida de

longo prazo acrescida da parcela corrente de dívidas de longo prazo

menos caixa e equivalentes de caixa) são "medidas financeiras não-GAAP",

conforme definido nas regras da Securities and Exchange Commission

(Comissão de Valores Mobiliários dos EUA). As receitas ajustadas de

metais e o retorno sobre as vendas ajustadas de metais por segmento,

ambas as medidas financeiras não-GAAP, também são aqui fornecidas.

Consulte "Informações por segmento".

Tais medidas financeiras não GAAP definidas pela empresa excluem dos

resultados divulgados aqueles itens que a gerência acredita não serem

indicativos de nosso desempenho em andamento e são fornecidas aqui, pois

a gerência acredita serem úteis à análise do desempenho operacional do

empreendimento e são consistentes com a forma como a gerência analisa

nossos resultados operacionais e tendências comerciais subjacentes. A

utilização de tais medidas não GAAP pode ser inconsistente com medidas

semelhantes apresentadas por outras empresas e deveriam ser utilizadas

apenas em conjunto com os resultados da empresa divulgados de acordo com

os princípios GAAP. Resultados operacionais históricos ajustados para o

segmento encontram-se divulgados na Apresentação do Investidor do quarto

trimestre de 2017 disponível no site da empresa.

Uma reconciliação do lucro operacional GAAP (perdas) e lucro diluído

(perdas) por ação para o resultado operacional ajustado e lucro por ação

é apresentada a seguir:

-0- *T Quarto trimestre de 2017 em relação ao quarto trimestre de 2016

Quarto trimestre2017

2016

Lucro

Lucro

Em milhões, exceto valores por ações

Operacional

LPA

Operacional

LPA

Divulgado

US$

7,5

US$

0,31

US$

(96,8

)

US$

(2,10

)

Ajustes para conciliar o resultado operacional/lucro por ação (LPA)

Despesa financeira da dívida conversível não monetária (1)

-

0,01

-

0,01

Perdas referentes a ajuste a preços de mercado (ganhos) sobre

instrumentos derivados (2)

-

(0,11

)

-

(0,08

)

Custos de reestruturação e desapropriação de bens (3)

17,6

0,20

27,8

0,44

Custos jurídicos e com investigações (4)

0,3

-

(0,7

)

(0,01

)

(Ganho) perdas na venda de ativos (5)

-

-

1,0

0,02

Acumulado em relação à FCPA (Lei Americana Anticorrupção no

Exterior) (6)

-

-

49,3

0,99

Liquidação de aposentadoria dos Estados Unidos (7)

-

-

7,4

0,12

Ásia-Pacífico e África (receitas)/perdas (8)

(5,3

)

(0,07

)

39,3

0,66

Lei da Reforma Tributária (9)

-

(0,31

)

-

-

Total de ajustes

12,6

(0,28

)

124,1

2,15

Ajustado

US$

20,1

US$

0,03

US$

27,3

US$

0,05

*T-0- *T

NOTA: As tabelas acima refletem ajustes do lucro por ação (LPA) com

base na taxa de impostos do ano completo da empresa de 40% para 2017

e 50% para 2016.

(1)

Os ajustes na despesa financeira conversível não monetária da

empresa refletem o acréscimo de títulos em notas conversíveis em

2029, que se reflete na demonstração de resultados como despesa de

juros.

(2)

Perdas referentes a ajuste a preços de mercado (ganhos) sobre

instrumentos derivados representam mudanças no período atual no

justo valor de instrumentos de commodity designados como operações

de cobertura econômica. A empresa ajusta de acordo com as mudanças

no valor justo desses instrumentos de commodities, pois os lucros

associados a contratos subjacentes não foram registrados no mesmo

período.

(3)

Custos de reestruturação e desapropriação de bens representam custos

associados a programas de reestruturação e desapropriação de bens

anunciados pela empresa, bem como os custos associados à revisão de

alternativas estratégicas que resultaram no acordo de fusão

definitiva anteriormente anunciado com a Prysmian. Exemplos disso

incluem, mas não estão limitados a, custos com indenização de

funcionários, depreciação de ativos, depreciação acelerada,

depreciação de capital de giro, remanejamento de equipamentos,

rescisões contratuais, honorários de consultoria e custos jurídicos.

A empresa se ajusta a esses encargos, pois a administração acredita

que esses custos não continuarão após a conclusão dos programas de

reestruturação e desapropriação de bens e término da fusão.

(4)

Custos jurídicos e com investigações representam custos incorridos

com empresas externas de consultoria jurídica e de contabilidade

forense referentes à correção monetária de nossas demonstrações

financeiras e investigações da Lei Americana Anticorrupção no

Exterior. A empresa ajusta de acordo com essas mudanças, pois a

diretoria acredita que esses custos não continuarão após a conclusão

dessas investigações consideradas fora das operações comerciais

normais.

(5)

Perdas e ganhos na venda de ativos são o resultado da alienação de

determinados empreendimentos da General Cable. A empresa ajusta

esses ganhos e perdas, pois a gerência acredita que esses ganhos e

perdas não são recorrentes e não ocorrerão como parte de operações

contínuas.

(6)

O acumulado em relação à FCPA (Lei Americana Anticorrupção no

Exterior) é o acumulado adicional da empresa registrado em 2016 para

resolver o inquérito com a SEC e DOJ. A empresa ajusta este

acumulado, pois a diretoria acredita que isso é um encargo não

recorrente e não ocorrerá como parte das operações em curso.

(7)

A taxa de liquidação de aposentadoria dos Estados Unidos é um custo

único relacionado ao pagamento de uma quantia fixa aos participantes

do Plano Mestre de Aposentadoria dos EUA. Este encargo representa os

pagamentos efetuados aos participantes que optaram por receber o

valor fixo e pelo qual a empresa deixou de ter obrigações de pagar

no futuro. A empresa ajustou essas perdas para a liquidação das

aposentadorias nos EUA, pois a diretoria não espera que ocorra no

futuro, e nem faz parte das operações em andamento.

(8)

O ajuste exclui o impacto das operações no segmento Ásia-Pacífico e

África, que não são consideradas "operações centrais" no novo

roteiro estratégico da empresa. A empresa desapropriou ou encerrou

essas operações que não se espera que continuem como parte do

empreendimento em andamento. Para fins contábeis, as operações

contínuas na Ásia-Pacífico e África não satisfazem os requisitos

para serem apresentadas como operações descontinuadas. O quarto

trimestre de 2017 reflete um ganho antes de impostos de US$ 5,4

milhões na liquidação do nosso negócio na Nova Zelândia. O quarto

trimestre de 2016 reflete os impactos não monetários de uma

reclassificação de US$ 28 milhões da conversão de moeda de outros

resultados abrangentes acumulados relacionados ao fechamento de

nossas instalações na África do Sul e uma depreciação de ativos de

US$ 11 milhões para os negócios da empresa na China.

(9)

O ajuste da Lei da Reforma Tributária está relacionado ao efeito

sobre as demonstrações financeiras da empresa resultantes da

promulgação da Lei de Redução de Impostos e Trabalho dos Estados

Unidos. Consulte "Outros assuntos - Imposto de Renda" na página 2

deste comunicado de imprensa. À empresa ajusta para a promulgação da

Lei da reforma Tributária, pois a diretoria acredita que isso é um

benefício líquido único e não ocorrerá como parte das operações em

curso.

*T Sobre a General Cable

General Cable (NYSE:BGC), com sede em Highland Heights, Kentucky, é

líder mundial em desenvolvimento, projeto, fabricação, marketing e

distribuição de cabos e fios de alumínio, cobre e fibra ótica para os

segmentos de energia, comunicações, automotivo, industrial, construção

civil e segmentos especiais. A General Cable é uma das maiores empresas

de produção de fios e cabos do mundo, operando plantas de fabricação em

seus mercados geográficos centrais e tendo representações de vendas e

distribuição no mundo inteiro. Para mais informações sobre a General

Cable, acesse nosso site em www.generalcable.com.

Declaração de Cautela Referente às Declarações

Prospectivas

Certas declarações neste comunicado de imprensa incluindo, sem

limitação, declarações relacionadas a resultados financeiros futuros e

desempenho, planos e objetivos, despesas de capital, entendimento da

concorrência, fontes projetadas de fluxo de caixa, responsabilidade

jurídica potencial, legislação proposta e ação regulatória e crenças,

expectativas ou opiniões de nossa administração, são declarações

prospectivas e, como tal, desejamos tirar proveito do "porto seguro" que

é oferecido a tais declarações ao abrigo do Private Securities

Litigation Reform Act de 1995. Declarações prospectivas são aquelas que

preveem ou descrevem eventos ou tendências futuras e que não se

relacionam unicamente com assuntos históricos. Geralmente, é possível

identificar as declarações prospectivas como declarações que contêm as

palavras "acreditar", "esperar", "poder", "antecipar", "pretender",

"estimar", "projetar", "planejar", "assumir", "procurar" ou outras

expressões similares, ou a negativa destas expressões, embora nem todas

as declarações prospectivas contenham essas palavras identificadoras.

Os resultados reais podem diferir materialmente dos resultados

discutidos nas declarações prospectivas em vista de vários fatores,

riscos e incertezas sobre muitos dos quais não temos controle. Esses

fatores, riscos e incertezas incluem, mas não estão limitados a:

(1) condições econômicas gerais, particularmente aquelas nos setores de

construção, energia e tecnologia da informação; (2) a volatilidade no

preço das matérias-primas, em especial o cobre e o alumínio; (3) a

revisão anunciada de alternativas estratégicas, incluindo uma potencial

venda da empresa, e a decisão de participar ou não em qualquer

alternativa estratégica, podem causar interrupções no negócio; (4) nossa

capacidade de manter ou negociar e consumar novos negócios ou relações

estratégicas ou transações; (5) despesas de depreciação com relação aos

nossos ativos de longo prazo; (6) nossa capacidade de executar nosso

plano de saída de todas as nossas operações na Ásia-Pacífico e África;

(7) nossa capacidade de alcançar todas as nossas economias de custos

antecipadas associadas ao nosso plano de reestruturação global

previamente anunciado; (8) nossa capacidade de investir no

desenvolvimento de produtos para melhorar o projeto e desempenho de

nossos produtos; (9) riscos econômicos, políticos e outros de se manter

instalações e vender produtos em outros países; (10) concorrência de

preços no país a nível nacional e local; (11) nossa capacidade de

integrar e identificar aquisições bem-sucedidas; (12) o impacto da

tecnologia; (13) nossa capacidade de manter relações com nossos

distribuidores e varejistas; (14) as mudanças nas taxas de imposto e a

exposição a novas leis tributárias; (15) nossa capacidade de adaptação

aos padrões atuais e em mudança da indústria; (16) nossa capacidade de

executar grandes contratos de clientes; (17) nossa capacidade de manter

relações com os principais fornecedores; (18) o impacto das flutuações

nas taxas de câmbio; (19) conformidade com leis e regulamentos

estrangeiros e estadunidenses, incluindo a Foreign Corrupt Practices Act

[Lei Sobre Práticas de Corrupção no Exterior dos EUA]; (20) nossa

capacidade de negociar extensões de acordos trabalhistas; (21) nossa

capacidade de continuar nossas contas a pagar não comprometidas

confirmando acordos; (22) nossa exposição ao risco de contraparte em

nossos acordos de hedge; (23) nossa capacidade de atingir os rendimentos

dos investimentos em nossos planos de benefícios definidos; (24)

possíveis passivos ambientais futuros e litígios do amianto; (25) nossa

capacidade de atrair e reter funcionários essenciais; (26) nossa

capacidade de realizar pagamentos em nosso endividamento; (27) nossa

capacidade de cumprir os convênios em nossos contratos de financiamento

existentes ou futuros; (28) redução de uma ou mais das nossas

classificações de dívida; (29) nossa capacidade de manter liquidez

adequada; (30) nossa capacidade de manter controles e procedimentos de

divulgação efetivos e controle interno sobre relatórios financeiros;

(31) o preço de negociação de nossas ações ordinárias; e (32) outros

fatores materiais.

Veja o Item 1A do Relatório Anual 2016 da empresa no Formulário 10-K

arquivado na SEC em 24 de fevereiro de 2017 e subsequentes registros

feitos na SEC para uma discussão mais detalhada sobre alguns desses

riscos.

As declarações prospectivas refletem os pontos de vista e os

pressupostos da administração a partir da data deste comunicado de

imprensa sobre eventos futuros. A empresa não se compromete e, através

desse documento, renuncia a qualquer obrigação, a menos que seja

obrigado pelas leis de valores mobiliários aplicáveis, atualizar

quaisquer declarações prospectivas como resultado de novas informações,

eventos futuros ou outros fatores. A inclusão de qualquer declaração

neste comunicado de imprensa não constitui uma admissão por parte da

empresa, ou por qualquer outra pessoa, que os eventos ou circunstâncias

descritos em tal declaração são materiais.

TABELAS PARA ACOMPANHAMENTO

-0- *T

General Cable Corporation e SubsidiáriasDemonstrações consolidadas de operações(em milhões, exceto dados por ações)(não auditadas)

Três meses fiscais findos emDoze meses fiscais findos em31 de dezembro de31 de dezembro de31 de dezembro de31 de dezembro de2017201620172016

Vendas líquidas

US$

981,9

US$

910,0

US$

3.837,2

US$

3.858,4

Custo das vendas

884,5

835,9

3.411,1

3.451,3

Lucro bruto

97,4

74,1

426,1

407,1

Despesas de vendas, gerais e administrativas

89,9

170,9

416,8

408,9

Despesas de depreciação de patrimônio da marca

-

-

-

9,0

Despesas de depreciação de ativos intangíveis

-

-

-

7,5

Lucro operacional (perda)

7,5

(96,8

)

9,3

(18,3

)

Outras receitas (despesas)

10,6

2,5

28,5

7,2

Receitas de juros (despesas):

Despesas de juros

(19,4

)

(22,3

)

(78,7

)

(89,5

)

receitas de juros

0,6

1,3

2,0

2,5

(18,8

)

(21,0

)

(76,7

)

(87,0

)

Lucro (prejuízo) antes do imposto de renda

(0,7

)

(115,3

)

(38,9

)

(98,1

)

Benefício (provisão) do imposto de renda

16,5

11,4

(15,8

)

3,7

Resultado da equivalência patrimonial das empresas afiliadas

-

0,2

-

0,9

Rendimento líquido (perda) inclusive participação não-controladora

15,8

(103,7

)

(54,7

)

(93,5

)

Menos: receita líquida (perdas) atribuíveis à participação

não-controladora

(0,2

)

0,9

1,9

0,3

Receita líquida (perdas) atribuíveis a acionistas comuns da empresa

US$

16,0

US$

(104,6

)

US$

(56,6

)

US$

(93,8

)

Ganhos (perda) por ação - Receita líquida (perdas) atribuíveis a

acionistas comuns da empresa por ação ordinária

Lucro (perdas) por ação ordinária - básico

US$

0,32

US$

(2,10

)

US$

(1,13

)

US$

(1,89

)

Média ponderada de ações ordinárias - básico

50,5

49,7

50,1

49,6

Lucro (perdas) por ação ordinária -

supondo a diluição

US$

0,31

US$

(2,10

)

US$

(1,13

)

US$

(1,89

)

Média ponderada de ações ordinárias -

supondo a diluição

51,9

49,7

50,1

49,6

*T-0- *T

General Cable Corporation e SubsidiáriasDemonstrações consolidadas de operaçõesInformações do segmento(em milhões)(não auditadas)

Três meses fiscais findos emDoze meses fiscais findos em31 de dezembro de

31 de dezembro de31 de dezembro de

31 de dezembro de2017201620172016Receitas (conforme divulgado)

América do Norte

US$

536,7

US$

476,5

US$

2.218,1

US$

2.041,7

Europa

255,4

212,2

874,5

875,7

América Latina

186,4

174,0

677,9

655,2

África / Ásia-Pacífico

3,4

47,3

66,7

285,8

Total

US$

981,9

US$

910,0

US$

3.837,2

US$

3.858,4

Receitas (ajustadas para metal) (1)

América do Norte

US$

536,7

US$

530,0

US$

2.218,1

US$

2.235,8

Europa

255,4

229,8

874,5

936,0

América Latina

186,4

205,5

677,9

755,7

África / Ásia-Pacífico

3,4

52,5

66,7

320,8

Total

US$

981,9

US$

1.017,8

US$

3.837,2

US$

4.248,3

Libras de metal vendido

América do Norte

139,5

132,5

580,9

548,0

Europa

40,1

37,7

152,4

154,0

América Latina

59,0

62,5

232,2

239,3

África / Ásia-Pacífico

-

12,8

14,5

85,1

Total

238,6

245,5

980,0

1.026,4

Lucro operacional (prejuízo)

América do Norte

US$

3,9

US$

(39,1

)

US$

68,6

US$

62,4

Europa

(6,4

)

(14,4

)

(12,4

)

2,6

América Latina

4,7

(4,0

)

17,6

(14,4

)

África / Ásia-Pacífico

5,3

(39,3

)

(64,5

)

(68,9

)

Total

US$

7,5

US$

(96,8

)

US$

9,3

US$

(18,3

)

Lucro operacional ajustado (perdas) (2)

América do Norte

US$

21,8

US$

32,0

US$

128,5

US$

136,8

Europa

(6,4

)

(3,6

)

(6,3

)

21,5

América Latina

4,7

(1,1

)

17,8

(8,3

)

Total

US$

20,1

US$

27,3

US$

140,0

US$

150,0

Retorno sobre vendas ajustadas de metal (3)

América do Norte

4,1

%

6,0

%

5,8

%

6,1

%

Europa

-2,5

%

-1,6

%

-0,7

%

2,3

%

América Latina

2,5

%

-0,5

%

2,6

%

-1,1

%

Total

2,1

%

2,8

%

3,7

%

3,8

%

Despesas de capital

América do Norte

US$

6,2

US$

21,1

US$

49,7

US$

51,3

Europa

5,6

6,7

28,6

19,8

América Latina

1,7

2,6

6,9

12,4

África / Ásia-Pacífico

-

0,2

0,2

0,6

Total

US$

13,5

US$

30,6

US$

85,4

US$

84,1

Depreciação e amortização

América do Norte

US$

7,6

US$

9,3

US$

34,2

US$

41,4

Europa

6,0

5,6

22,8

22,6

América Latina

3,5

4,2

15,8

16,9

África / Ásia-Pacífico

-

0,6

1,1

5,1

Total

US$

17,1

US$

19,7

US$

73,9

US$

86,0

Receitas por principais linhas de produtos

Concessionária de energia elétrica

US$

348,0

US$

303,0

US$

1.336,2

US$

1.357,1

Infraestrutura elétrica

244,4

228,6

976,7

989,7

Construção

228,6

217,1

855,8

820,8

Comunicações

115,6

113,1

490,8

473,8

Produtos laminadores de fios

45,3

48,2

177,7

217,0

Total

US$

981,9

US$

910,0

US$

3.837,2

US$

3.858,4

*T-0- *T (1)

Receitas em metais ajustadas, medidas financeiras não GAAP, são

fornecidas a fim de eliminar uma estimativa de volatilidade no

preço de metais a partir da comparação com receitas de um período

a outro.(2)A receita operacional ajustada (perda) é uma medida financeira

não-GAAP. A empresa está fornecendo o resultado operacional

ajustado (perdas) por segmento, pois a administração acredita que

isto seja útil na análise do desempenho operacional do

empreendimento e é consistente com como a administração analisa as

tendências subjacentes do empreendimento. Uma reconciliação do

resultado operacional divulgado do segmento (perda) até o lucro

operacional ajustado do segmento (perda) é fornecida no anexo da

Apresentação para Investidores do quarto trimestre de 2017,

encontrado no site da empresa.(3)O retorno sobre as vendas ajustadas do metal foi calculado

sobre a receita operacional ajustada (perda)

*T-0- *T

GENERAL CABLE CORPORATION E SUBSIDIÁRIASBalanço patrimonial consolidado(em milhões, exceto dados por ação)

31 de dezembro de31 de dezembro deAtivos20172016

Ativos circulantes:

(não auditado)

Caixa e equivalentes de caixa

US$

84,7

US$

101,1

Contas a receber, provisões líquidas de US$ 19,2 milhões em 31 de

dezembro de 2017

US$ 20,2 milhões em 31 de dezembro de 2016

714,2

664,5

Inventários

736,1

768,2

Despesas antecipadas e outros

60,0

65,4

Total de ativos circulantes

1.595,0

1.599,2

Propriedade, fábrica e equipamentos, líquido

530,3

529,3

Imposto de renda diferido

7,9

20,4

Patrimônio de marca

11,0

12,0

Ativos intangíveis, líquido

23,3

28,3

Empresas afiliadas não consolidadas

0,2

9,0

Outros ativos não circulantes

67,6

43,4

Total de ativos

US$

2.235,3

US$

2.241,6

Passivo e patrimônio líquido

Passivos circulantes:

Contas a pagar

US$

437,5

US$

414,0

Passivo acumulados

308,8

419,6

Parcela atual da dívida de longo prazo

46,9

67,5

Total de passivo circulante

793,2

901,1

Dívida de longo prazo

1.038,8

871,1

Imposto de renda diferido

108,6

126,7

Outros passivos

162,9

173,8

Total do passivo

2.103,5

2.072,7

Compromissos e contingências

Total do patrimônio:

Ações ordinárias, valor ao par de US$ 0,01, ações emitidas e em

circulação:

31 de dezembro de 2017 - 50.583.870 (líquido de 8.054.826 ações em

tesouraria)

31 de dezembro de 2016 - 49.390.850 (líquido de 9.419.116 ações em

tesouraria)

0,6

0,6

Capital integralizado adicional

706,6

711,0

Ações em tesouraria

(151,9

)

(169,9

)

Ganhos acumulados (déficit)

(195,3

)

(102,2

)

Outros prejuízos detalhados acumulados

(230,8

)

(286,4

)

Patrimônio líquido total dos acionistas da empresa

129,2

153,1

Juros não controlado

2,6

15,8

Patrimônio total

131,8

168,9

Total do passivo e do capital próprio

US$

2.235,3

US$

2.241,6

*T-0- *T

GENERAL CABLE CORPORATION E SUBSIDIÁRIASDemonstrações consolidadas dos fluxos de caixa(em milhões)(não auditado)

Doze meses fiscais findos em31 de dezembro de

31 de dezembro de20172016Fluxo de caixa das atividades operacionais:

Lucro líquido (prejuízo) inclusive participação não-controladora

US$

(54,7

)

US$

(93,5

)

Ajustes para reconciliar o lucro líquido (prejuízo) com o fluxo de

caixa líquido das atividades operacionais:

Depreciação e amortização

73,9

86,0

Perda de câmbio (ganho) em moeda estrangeira

3,4

0,6

Encargos por imparidade de ativos não monetário

2,3

59,5

Taxas de juros não monetárias

4,0

5,0

Imposto de renda diferido

(12,1

)

(22,7

)

(Lucro) prejuízo na alienação de subsidiárias

71,9

(25,6

)

(Lucro) prejuízo na alienação de propriedade

(1,4

)

2,1

Variações nos ativos e passivos operacionais, líquidos de efeito de

desinvestimentos:

(Aumento) diminuição de contas a receber

(25,3

)

11,2

(Aumento) diminuição em inventários

18,1

52,6

(Aumento) diminuição em outros ativos

6,4

7,3

Aumento (diminuição) em contas a pagar

7,8

2,8

Aumento (diminuição) em passivos acumulados e outros

(133,3

)

70,9

Fluxo de caixa líquido das atividades operacionais

(39,0

)

156,2

Fluxo de caixa das atividades de investimento:

Despesas de capital

(85,4

)

(84,1

)

Produto de imóveis vendidos

11,9

1,5

Eliminação de subsidiárias, líquido de caixa alienado

2,2

81,8

Investimento em caixa restrito

(10,0

)

-

Outros

(0,1

)

0,2

Fluxo de caixa líquido de atividades de investimento

(81,4

)

(0,6

)

Fluxo de caixa das atividades de financiamento:

Dividendos pagos aos acionistas

(37,4

)

(35,6

)

Produtos da dívida

2.101,1

1.516,2

Reembolso de dívidas

(1.967,3

)

(1.635,2

)

Compra de participação não controladora

-

(18,0

)

Dividendos pagos a juros não controladores

-

(0,1

)

Rendimentos da operação de venda e relocação

-

6,2

Impacto das opções de compra de ações e outros

2,1

(0,4

)

Fluxo de caixa líquido das atividades de financiamento

98,5

(166,9

)

Efeito das variações da taxa de câmbio no caixa e equivalentes de

caixa

5,5

-

Aumento (diminuição) em caixa e equivalentes de caixa

(16,4

)

(1

Escrito por:

AFP