Publicado 26 de Fevereiro de 2018 - 21h10

Por AFP

Um grupo de membros especialistas da The Broadband Commission for

Sustainable Development (Comissão de Banda Larga para o Desenvolvimento

Sustentável) divulgou hoje o relatório "A New Deal: Investing in Our Common Future - Policy Recommendations to Close the Broadband Gap".O

relatório contém recomendações para formuladores de políticas,

reguladores e setor privado para lidar com a "exclusão digital

inaceitável e persistente" de metade da população mundial.

Formado por representantes do setor privado e do governo, o Grupo de

Especialistas foi convocado pela The Broadband Commission for

Sustainable Development em março de 2017 para identificar etapas

específicas que precisam ser seguidas para o fechamento da lacuna de

cobertura existente e uso da banda larga.

O relatório estabelece ações específicas para os formuladores de

políticas e reguladores, chamando a atenção para quatro tópicos

importantes:

-- Clima de investimento saudável - incluindo um melhor planejamento de políticas de banda larga, condições regulatórias estáveis e uma estratégia inteligente do setor público para gerar receita, em vez de impostos e taxas direcionados para as TICs (Tecnologias da Informação e Comunicação). -- Custos menores com fornecimento de infraestrutura - incluindo uma maior partilha de infraestrutura de telecomunicações e espectro de radiofrequência entre as operadoras; acesso mais fácil à infraestrutura pública, direitos de passagem e fibra de utilidade pública; abertura para abordagens de múltiplas tecnologias; liberação de mais espectro de radiofrequência com menor custo e licenciamento de espectro mais flexível. -- Melhor funcionamento dos mercados de TICs - incluindo a conclusão da liberalização do mercado, em particular nos serviços internacionais, e garantia de que a concorrência seja efetiva, incluindo um retorno justo para o acesso regulado à infraestrutura dominante das operadoras; utilização de novas formas de parceria e tecnologias inovadoras; melhoria da transparência e eficiência dos sistemas de serviço universal e maximização da oportunidade de convergência, permitindo todos os tipos de serviços em qualquer rede. -- Liberação da demanda por uma economia digital mais amplapara encorajar o fornecimento e investimento - incluindo estratégias digitais governamentais, o uso de uma abordagem habilitadora e com base em riscos e proteção de dados e restrições mínimas em dados e conteúdo que atravessam fronteiras.

"Em nosso mundo cada vez mais digital, a conectividade é a diferença

para muitas pessoas entre o acesso ao emprego, educação, saúde,

e-banking e ser deixado para trás", disse Houlin Zhao, secretário-geral

da ITU e co-vice-presidente da Broadband Commission. "O conjunto

importante de recomendações apresentado no relatório do Grupo de

Especialistas fornece ações concretas que podem ser consideradas para a

entrega rápida de conectividade digital de banda larga. Em particular,

precisamos criar uma política de habilitação e um ambiente regulatório

que atrairá investimentos em TICs, especialmente do setor privado."

O Grupo de Especialistas foi presidido por Philippe Metzger, diretor

geral, Escritório Federal de Comunicações (Federal Office of

Communications - OFCOM), Suíça.

Metzger disse: "As coisas não acontecem apenas - elas são feitas para

acontecer. Isso é válido para o hiato de cobertura da banda larga e como

podemos fechá-lo. As recomendações políticas incluídas neste relatório

são muito concretas; elas lidam com questões urgentes que impedem a

implantação de redes e serviços digitais para pessoas que precisam

desesperadamente deles. Este relatório é o resultado de um esforço

verdadeiramente multissetorial por especialistas comprometidos que,

independentemente de serem provenientes do setor público ou privado,

saíram de sua esfera para propor soluções conjuntas que trarão os

benefícios de conectividade digital a todos, em todos os lugares."

Os outros membros do Grupo de Especialistas foram (em ordem alfabética):

Scott Gegenheimer, diretor executivo do Grupo, Operações, Zain Group;

Mats Granryd, diretor geral, GSMA; Dr. Carlos Jarque, América Móvil;

Mark MacGann, diretor de Assuntos Corporativos e de Relações Públicas do

Grupo, VEON; Kevin Martin, vice-presidente, Política de Acesso Móvel e

Global, Facebook; Paul Mitchell, diretor sênior, Política de Tecnologia,

Microsoft; Hon Jean Philbert Nsengimana, ex-ministro da Juventude e das

TIC, Ruanda; Denis O'Brien, presidente, Digicel Group.

Baixe o relatório em:http://www.broadbandcommission.org/publications/Pages/Expertgroupreport-2018.aspx.

Sobre a GSMA

A GSMA representa os interesses das operadoras móveis em todo o mundo,

unindo cerca de 800 operadores com mais de 300 empresas no ecossistema

móvel mais amplo, incluindo fabricantes de celulares e dispositivos,

empresas de software, fornecedores de equipamentos e empresas de

Internet, bem como organizações em setores industriais adjacentes. A

GSMA também produz eventos líderes do setor, como o Mobile World

Congress, o Mobile World Congress de Xangai, o Mobile World Congress das

Américas e conferências do Mobile 360 Series.

Para mais informações, acesse o site corporativo da GSMA em www.gsma.com.

Siga a GSMA no Twitter: @GSMA.

O texto no idioma original deste anúncio é a versão oficial autorizada.

As traduções são fornecidas apenas como uma facilidade e devem se

referir ao texto no idioma original, que é a única versão do texto que

tem efeito legal.

Ver a versão original em businesswire.com: http://www.businesswire.com/news/home/20180226006677/pt/ Contato

Assessoria de Imprensa da GSMA Georgie Callé [email protected]

This material is not an AFP editorial material and AFP shall not bear responsability for the accuracy of its content. In case you have any questions about the content, kindly refer to the contact person mentioned in the text of the release. End of the Business Wire's Press Release

Escrito por:

AFP