Publicado 26 de Fevereiro de 2018 - 8h15

Por Henrique Hein

Caminhada exalta paz e educação

Divulgação

Caminhada exalta paz e educação

A 2ª Caminhada pela Erradicação do Analfabetismo marcou, na manhã de ontem, o encerramento das atividades do Fórum da Paz, uma campanha organizada pela Prefeitura Municipal de Campinas. Ao menos mil pessoas participaram do ato, na Lagoa do Taquaral. O evento contou com a presença de Arun Manilal Gandhi — neto do ativista Mahatma Gandhi, líder responsável pela promoção da paz e da independência da Índia. 

Ele chegou ao Brasil há poucas semanas, após o lançamento de seu livro "A virtude da raiva", que conta histórias inéditas de seu avô e poderosas lições espirituais. Nascido em 1934, ele é o quinto neto de Mahatma Gandhi, e atualmente, viaja pelo mundo com o objetivo de difundir a sua mensagem de paz e não-violência.

Com a ajuda de um tradutor e de um microfone, o ativista conversou com a população. Ele disse que o analfabetismo é um dos grandes problemas da humanidade e que uma das formas de erradicá-lo é o trabalho em conjunto. "Eu sei que há muitos problemas no mundo e um deles é o analfabetismo. Muitas vezes, essas pessoas sofrem com isso e não possuem nenhum respaldo. Somos responsáveis por isso. É dever da população e do governo criar mecanismos que possam erradicar esse problema" , afirmou Gandhi.

No evento, os participantes receberam kits com camisetas e água, além de bexigas azuis-claras. A concentração de pessoas começou às 9h, no Portão 1 da Lagoa e a caminhada foi iniciada cerca de uma hora depois. A ação foi finalizada na antiga pista de kart da região, por volta do meio-dia.

A secretária de educação do Município, Solange Villon, destacou a importância do ato. "Campinas conta hoje com aproximadamente 20 mil analfabetos. Estamos trabalhando muito e queremos erradicar o analfabetismo até 2025”, disse.

Analfabetismo

Nos últimos quatro anos, a cidade de Campinas teve um crescimento de 1.400% nas matrículas de alunos do Programa de Educação de Jovens e Adultos (EJA).

O aumento motivou a Prefeitura a manter a meta de zerar o número de analfabetos até 2025 e ficar em primeiro lugar entre as cidades com mais de 1 milhão de habitantes.

O Município é hoje a 5ª cidade com menores índices de analfabetos ou pessoas com baixa escolaridade entre os 14 municípios brasileiros com mais de um milhão de habitantes. Ao todo, 4% da população da cidade não têm nenhuma escolaridade. A campanha começou em Campinas em 2014. Um ano antes, a Fundação Municipal da Educação Comunitária (Fumec), da Secretaria Municipal de Educação, responsável pela alfabetização de jovens e adultos, recebeu 140 novos alunos. No ano passado, foram 2.032.

A Fumec disponibiliza Ensino Fundamental I (1º ao 4º ano) para pessoas com mais de 15 anos que não têm estudo ou possui baixa escolaridade.

Para aqueles que têm interesse em dar prosseguimento aos estudos, a Secretaria de Educação também oferece Ensino Fundamental II (5º ao 9º ano) "Nos últimos 5 anos passaram pela Fumec mais de 53 mil alunos. São estudantes tanto da Educação de Jovens e Adultos quanto dos cursos profissionalizantes e de qualificação profissional" , afirmou o diretor executivo da Fumec, José Batista de Carvalho Filho.

Escrito por:

Henrique Hein