Publicado 27 de Fevereiro de 2018 - 17h20

Por Estadão Conteúdo

O retorno das famílias às compras está por trás do avanço do otimismo do empresário do comércio, segundo o economista Bruno Fernandes, da Divisão Econômica da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC). O Índice de Confiança do Empresário do Comércio (Icec) subiu 3,3% em relação a janeiro, alcançando 113,2 pontos. Na comparação com fevereiro de 2017, o aumento foi de 18,5%.

"O empresário está mais otimista em relação ao presente. A maior confiança das famílias levou a um crescimento do consumo, e isso deixa o empresário do comércio mais confiante", explicou Fernandes. "A melhora do consumo e da economia, ainda que seja lenta, deve alimentar o otimismo do empresário no curto prazo", previu.

A inflação mais baixa, o custo mais baixo do crédito e o início de melhora no mercado de trabalho estão entre os ingredientes que ajudaram a elevar a confiança de consumidores e empresários.

O componente Condições Atuais teve aumento de 6,1% na passagem de janeiro para fevereiro, para 90,4 pontos. Na comparação com o mesmo período do ano passado, a alta foi de 46,3%, com melhora na percepção dos varejistas sobre todos os itens avaliados (economia, setor e empresa).

O componente Expectativas cresceu 1,5% em relação a janeiro, para 153,1 pontos. Na comparação com fevereiro do ano passado, a alta foi de 8%, puxada por avanços nas perspectivas de curto prazo sobre o desempenho do comércio (+8,1%), da própria empresa (+5,7%) e da economia (+10,6%).

Já o componente Intenções de Investimentos cresceu 2,4% em fevereiro ante janeiro. Em relação a fevereiro de 2017, a elevação foi de 15,7%, com avanço na intenção de investir na empresa (+25,9%), de contratar funcionários (+17,2%) e de renovar os estoques (+5,6%).

Escrito por:

Estadão Conteúdo