Publicado 25 de Janeiro de 2018 - 21h52

Por Paulo César Dutra Santana

O técnico Eduardo Baptista não fugiu de sua responsabilidade e reconhece que a Ponte Preta apresentou falhas na derrota para o Santos. “Quando você tem um time com média de idade de 21 anos, já entra na competição em estado de alerta. A gente sabia que seria um início difícil, com jogos contra Corinthians e Santos, mas tem que buscar encaixar o mais rápido possível. Quando vai acontecer, não tem como dizer”, disse.

O treinador voltou a dizer que a responsabilidade é sua e pediu apoio ao jovem time da Macaca. “Tem falhas técnicas e tem falhas táticas porque é um time em reconstrução. A gente tem que acelerar a busca pelo equilíbrio e dar moral para eles”, avalia.

Segundo o treinador, o time campineiro começou bem e poderia ter decidido antes do intervalo. “Fizemos um bom primeiro tempo, encaramos de igual para igual e poderia ter feito mais. Depois (no segundo tempo), as coisas não aconteceram”, finalizou.

Entre os jogadores mais experientes, o sentimento era de frustração. “Não podemos perder duas partidas em casa. No Paulista, não se pode vacilar. Eles tiveram mais posse de bola, mas nós também não caprichamos na finalização”, comentou o meia Tiago Real.

Para o zagueiro Luan Peres a Ponte não tem tempo para pensar. “O campeonato é curto e não se pode vacilar. Talvez, nas mexidas, a gente não encontrou o nosso melhor posicionamento. Eles desequilibraram e tiveram a felicidade de marcar no final”, disse. (AAN)

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana