Publicado 25 de Janeiro de 2018 - 13h59

Por Delminda Aparecida Medeiros

No pique da criação

Delma Medeiros

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

O tempo não pesa para a professora aposentada Cândida Augusta Reginato. Pianista, poetisa e compositora, aos 84 anos ela mostra uma energia admirável e acaba de obter um reconhecimento de seu talento. Sua marchinha Carnavais de 50 foi selecionada para a final do segundo Festival Tonicos Boteco de Marchinhas de Carnaval. A produção artística de Cândida é herança de família. Ela é neta de Benedito Sampaio, professor conhecido do antigo Colégio do Estado, atual Culto à Ciência, sobrinha dos professores Francisco Ribeiro Sampaio, fundador da Academia Campinense de Letras (ACL) e Quinita Ribeiro Sampaio, escritora e membro da ACL, e filha do professor João Fiorelo Reginato e da compositora Maria Regina Sampaio Reginato, ambos homenageados dando seus nomes a ruas de Campinas.

“Sempre gostei de compor e escrever poesia, desde criança. A música me vem à cabeça e já anoto para não esquecer. Vendo meu interesse, meu avô me ensinou a métrica da poesia. Toda minha família sempre foi ligada à música e a poesia”, diz Cândida, que como pianista fez concerto no extinto Teatro Municipal de Campinas e em salas em São Paulo, até interromper a carreira ao se casar.

Ela conta que no ano passado soube do Festival de Marchinhas e tentou participar, mas as inscrições haviam encerrado. “Fiquei atenta este ano e me inscrevi a tempo. E fui classificada para a finalíssima, uma grande honra”, afirma. “Gosto do que é puro, genuíno e o festival teve como tema resgatar a inocência dos carnavais de outrora”, coloca Cândida, se preparando para a grande final, dia 6 de fevereiro.

“Fiz tudo nesta marchinha, a introdução, a letra, a música e até o cantor”, brinca, citando que seu filho mais velho, Ricardo Reginato, é quem defende a música no festival.

Cândida conta que depois dos filhos crescidos – ele tem quatro, Ricardo, Marlene, Cristina e Renata – voltou a estudar teclado. “Foi nessa época, já madura que aumentei minha produção musical. Faço todo gênero de música: clássico, popular, canções, valsas, sambas...e marchinhas”. E ainda encontra tempo para aos oito netos – sete biológicos e “um do coração”.

Cândida afirma que não gosta de ficar parada. “Gosto de estudar, de ocupar a mente.” Ela já aprendeu alemão e atualmente faz aulas de italiano, inglês, teclado e canto, além de compor. “Minha mãe tem um valor que merece ser reconhecido. Ficamos todos emocionados ao ver sua música classificada”, diz Marlene Reginato Hoffman, sem disfarçar o orgulho que tem da mãe talentosa. “Ser classificada já equivale a um prêmio. Participar do festival foi uma forma de mostrar a música, caso contrário ficaria na gaveta”, conclui a compositora.

Cerca de 30 compositores se inscreveram para o segundo Festival Tonicos Boteco de Marchinhas de Carnaval. Desses, doze são classificados para a final. Segundo Alex de Freitas, o Mortão, organizador do evento, Cândida é a compositora mais velha a participar do festival. “Já tivemos compositores mais velhos, na faixa de 65 a 75 anos, mas acima de 80 é a primeira vez”, diz Mortão. “E é linda a música dela, muito boa mesmo.”

Carnavais de 50

(letra e música de Cândida Augusta Reginato)

Vou resgatar os carnavais de outrora

Quando a marchinha era a rainha do salão

Mamãe eu Quero, Jardineira, Aurora

Pegando fogo em cada coração

Tantos Pierrôs e tantas Colombinas

Lança-perfume, confete e serpentinas

Mas de repente, alguém enrubescia

Quando Arlequim a um beijo se atrevia.

Refrão

Carnavais de 50

De um tempo que já não volta mais

Hoje só se comenta

Saudade daqueles carnavais (3x)

Agende-se

O quê: Festival Tonicos Boteco de Marchinhas de Carnaval

Quando: 30/1 (eliminatória); 6/2, às 21h

Omde: Tonicos Boteco (Rua Barão de Jaguara, 1.373, Centro, fone: 3236-1664)

Quanto: R$ 15,00

Escrito por:

Delminda Aparecida Medeiros