Publicado 24 de Janeiro de 2018 - 15h59

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

Carlos Rodrigues

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Ainda não ter conquistado nenhuma vitória no Campeonato Paulista não é preocupação pelos lados do Red Bull Brasil. Pelo contrário, a percepção de que as atuações foram boas mantém o time confiante e nada melhor do que confirmar isso diante de um adversário dono de um dos elencos mais badalados do futebol brasileiro. E é sem medo que o Toro Loko pretende surpreender o Palmeiras, hoje, às 21h, no Allianz Parque, em partida válida pela terceira rodada.

Na letra fria dos números, a equipe campineira soma dois empates – diante de Ferroviária e Santo André – e ocupa a segunda posição do Grupo D, liderado pelo Santos. Embora os resultados não sejam dos mais empolgantes, a postura do time causa impressão positiva no técnico Ricardo Catalá. “Demonstramos grande poder de ajuste durante as partidas. Os jogadores demonstraram que são maduros e isso ajuda muito. Os resultados não são positivos, mas a avaliação tem sido”, explica.

Para o comandante do Toro, vencer a qualquer custo não faz parte dos planos. Catalá é adepto a uma filosofia de futebol bem jogado. “Acredito que o jogo de futebol só faz sentido se for ofensivo, equilibrado. Para vencer, o caminho é jogar bem. Temos jogado bem, então a vitória é uma consequência”, diz o treinador. “Estamos criando oportunidades, finalizando bastante. Falta só um pouco mais de capricho”, observa.

Disposto a colocar em prática essas ideias, Catalá garante que seu time não mudará a postura mesmo enfrentando uma equipe do poderio do Palmeiras e que terá em campo hoje jogadores do nível de Willian, Lucas Lima e Dudu. A ordem é não temer o oponente e proporcionar uma grande partida. “Vamos buscar a vitória. Nossa preparação é muito mais no sentido de aproveitar o que o adversário tem de deficiência do que valorizar o que há lá”, diz. “Espero um grande jogo. Os times têm identidades parecidas e quem for ao estádio verá um espetáculo de futebol”, promete.

O Red Bull encerrou ontem a preparação para o jogo, mas Ricardo Catalá não adiantou qual será a escalação utilizada. A expectativa é que o sistema de jogo seja o mesmo utilizado nas rodadas anteriores. A principal dúvida é no meio-campo. Expulso na estreia e suspenso no jogo passado, o meia Rodrigo Andrade fica à disposição, mas existe a possibilidade de que Éder seja mantido para fazer a trinca no meio-campo ao lado de André Castro e Maílson. Os experientes atacantes Éder Luís e Edmílson estão confirmados.

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva