Publicado 03 de Janeiro de 2018 - 18h44

Por Adagoberto F. Baptista

Fotos: Digital rac

Henrique Hein

Da Agência Anhanguera

[email protected]

O Professor Mario Alberto de Santana, do Departamento de Artes Cênicas, do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), morreu afogado na última terça-feira, dia 2 de janeiro, na praia da Bombaça, em Barra Grande, na Península de Maraú, na Bahia. De acordo com a Instituição de Ensino, o afogamento teria ocorrido no momento em o professor tentou salvar uma criança de 9 anos. O menino sobreviveu ao incidente.

Santana possuía graduação em Ciências Sociais, mestrado em Letras, ambos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e doutorado em Artes Cênicas pela Universidade de São Paulo (USP). No Departamento de Artes Cênicas da Unicamp, ele trabalhava com teatro contemporâneo, dramaturgia das ações cênicas, ator-criador, gramáticas da cena: o tempo e o espaço, o vazio e o silêncio como matrizes do discurso cênico.

Mario Santana também era o coordenador da seleção em artes cênicas do Vestibular da Unicamp. Ele participava da seleção para o curso que há cerca de 15 anos. Ele também ajudou a definir, a partir das provas específicas, o perfil de aluno.

Em um depoimento produzido pela TV Unicamp, o professor aparece ressaltando a importância de estar sempre repensando essas provas, no sentido de aprimorar a seleção. Segundo ele, “há 15 anos percebíamos que muitos estudantes chegavam ao curso sem conhecer o universo que escolheram para sua formação. A partir dessa percepção, reelaboramos a prova, de maneira a indicar aos candidatos que, sim, é preciso um conhecimento prévio sobre o universo das Artes Cênicas”, comentou.

O corpo do Professor foi velado no ginásio esportivo de Vila de Maraú e sepultado ontem a tarde, no Cemitério de Mangue Verde, em Maraú.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista