Publicado 02 de Janeiro de 2018 - 20h17

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

Carlos Rodrigues

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A exatamente duas semanas da estreia na Série A2 do Campeonato Paulista, o Guarani está sem treinador. Pegando todo mundo de surpresa, o técnico Fernando Diniz aceitou ontem uma proposta do Atlético-PR e comunicou sua saída do Bugre. Há no contrato uma multa rescisória, de valor não revelado, que será paga pelo clube paranaense. Sem o comandante, que fez parte de todo o planejamento da temporada e há duas semanas vinha trabalhando o time, o auxiliar Umberto Louzer dará sequência à preparação até que um novo profissional seja contratado.

A decisão de Diniz caiu como uma bomba no Brinco de Ouro, afinal ninguém esperava a interrupção do projeto. O técnico recebeu o convite de Mario Celso Petraglia, presidente do Conselho Deliberativo do Furacão, durante a tarde de ontem, antes da reapresentação do elenco bugrino, marcada para 16h. O treinador, inclusive, chegou atrasado no estádio. Lá, transmitiu aos dirigentes a decisão de aceitar a oferta do Atlético-PR e se despediu do grupo de jogadores.

Em contato rápido com a imprensa na saída do Brinco, Diniz falou da saída. “Foi um projeto que pintou na minha vida. Tenho o maior respeito pelo Guarani, pela torcida, mas achei que era o momento de sair”, disse. “Plantei uma boa semente e tenho certeza que o trabalho terá sequência. Deixo coisas positivas e vou levar coisas positivas. Estou em paz comigo e sei que o Guarani tem muita chance de acesso mesmo sem mim”.

Surpreendida com a saída do técnico, a diretoria do Guarani trabalha agora em busca de um substituto. A princípio, o auxiliar Umberto Louzer comanda o time durante a pré-temporada em Jaguariúna. A efetivação dele como técnico é uma possibilidade, mas tratada como alternativa apenas se nenhum nome no mercado agradar. O objetivo é acelerar a decisão, afinal a estreia na Série A2 acontece no dia 17, daqui duas quartas-feiras.

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva