Publicado 24 de Janeiro de 2018 - 20h22

Por Estadão Conteúdo

Condenação de Lula foi comemorada como uma final de jogo de futebol em Davos, na Suíça

AFP

Condenação de Lula foi comemorada como uma final de jogo de futebol em Davos, na Suíça

A condenação do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por unanimidade foi comemorada como uma final de jogo de futebol em Davos, na Suíça, nesta quarta-feira, 24. À mesa do jantar oficial do Forum Econômico Mundial, no hotel Derby, a comitiva brasileira acompanhava à distância o resultado.

O presidente Michel Temer e seus principais ministros, como Henrique Meirelles (Fazenda) e Moreira Franco (Secretaria Geral da Presidência), eram informados a cada voto.

Com celular na mão, alguns anunciavam, quase aos gritos: "3 a zero! 3 a zero!"

O jantar estava bastante concorrido, com a presença de Luiz Carlos Trabuco Cappi, presidente do Bradesco; Pedro Parente, presidente da Petrobras; e Cândido Bracher, presidente do Itaú Unibanco, entre outros. Assim que o desembargador Victor Laus proferiu seu voto, formando unanimidade em torno da confirmação da condenação de Lula e encerrando, assim, o julgamento no TRF-4, foi um sem-parar de toques de celular.

Condenação confirmada

Por 3 votos a 0, a 8ª Turma do Tribunal Regional Federal da 4ª Região confirmou nesta quarta a condenação de Lula pelos crimes de corrupção passiva e lavagem de dinheiro e aumentou a pena de 9 anos e seis meses de prisão para 12 anos e um mês de prisão.

A formação de unanimidade entre os desembargadores do TRF-4 torna mais escassas as chances de o ex-presidente reverter a decisão com recursos ao tribunal e, portanto, dificulta uma eventual candidatura do petista à Presidência, já que, sob a Lei da Ficha Limpa, ele se torna inelegível. De acordo com a legislação, o impedimento da candidatura se dá quando há uma condenação em segunda instância proferida por colegiado, como é o caso do tribunal em Porto Alegre (RS).

Escrito por:

Estadão Conteúdo