Publicado 02 de Janeiro de 2018 - 19h05

Desde que a televisão começou a se espalhar pelos mais diferentes pontos do país, foi relevante importância de cada emissora para o que veio a existir como rede e também naquilo que sempre significou como oportunidade para surgimento do talento local.

Daria um livro enumerar os tantos nomes que, depois de iniciarem nas TVs ditas regionais, vieram a se tornar valores nacionais no jornalismo, humor, esporte, teledramaturgia, além de outros tantos setores.

De se lamentar que nem todos tenham se apercebido disso. Com o passar do tempo, os dois mais importantes programas policiais, Brasil Urgente e Cidade Alerta, souberam se tornar essenciais, através de uma maior qualificação do seu noticiário e deixando de simplesmente se prestar ao papel de alavancas de grade. Os dois, e não é tão de agora, têm uma vida comercial das mais saudáveis, com espaços de merchandisings preenchidos e breaks recheados.

Tudo ao contrário do que acontece em grande parte dos policialescos das praças, que usam, abusam e superam todos os limites do bom senso. O linguajar é chulo, como são indecentes o comportamento em cena e o apelo para imagens as mais chocantes. De se lamentar que essa boa maioria não saiba aproveitar a oportunidade que tem nas mãos.