Publicado 25 de Janeiro de 2018 - 5h30

Vinte crianças e adolescentes foram violentados sexualmente por dia no Estado de São Paulo em 2017, quando o número de vítimas mais do que dobrou em relação ao ano anterior, saltando de 2430 para 7580. Apesar de ter registrado índice de estupro de vulnerável inferior ao estadual, Campinas também teve um crescimento bastante expressivo, saindo de 61 casos em 2016 para 165 no ano passado, um aumento de 170,5%.

As estatísticas oficiais de criminalidade divulgadas no fim da tarde de ontem pela Secretaria da Segurança Pública (SSP) do Estado revelaram, por outro lado, que o estupro de uma maneira geral reduziu em 5,1% em Campinas, enquanto cresceu em 10,3% em todo o Estado.

Entre os crimes contra a vida, os homicídios dolosos aumentaram em 31,9% em Campinas, que teve 157 pessoas assassinadas ao longo de 2017, ante 119 em 2016. O registro se contrapõe ao cenário estadual, que teve 10,4% menos vítimas de assassinatos no ano passado, quando 3293 pessoas foram mortas. Já os casos de lesão corporal dolosa seguida de morte, que aumentaram em 325% no Estado, foram apenas dois em Campinas, que em 2016 não registrou esse tipo de crime.

Em relação aos crimes contra o patrimônio, apesar de Campinas ter tido uma redução de 11,2% nos roubos de carga, diferente da estatística estadual, caindo de 250 casos em 2016 para 222 no ano passado, registrou praticamente o mesmo número de roubos de veículos nos dois anos e um aumento de 3,9% nos furtos de veículos. Segundo a SSP, as cidades paulistas tiveram 6,5% mais roubos de carga no ano passado e 13,1% e 5,5% menos roubos e furtos de veículos, respectivamente.

Por conta do horário de divulgação dos dados, não foi possível obter um posicionamento da Polícia Civil de Campinas nem da SSP sobre o balanço.

Região

De acordo com a SSP, o total de casos de homicídios dolosos apresentou aumento de 10,5% em 2017, passando de 239 para 264, 41 vítimas a mais, atingindo a taxa de 7,34 casos e 7,92 pessoas mortas a cada 100 mil habitantes. Os roubos de carga também aumentaram em 5,81%, de 568 para 601 registros, assim como os roubos a banco, que cresceram de 10 para 15 ocorrências.

Por outro lado, a região terminou o ano com redução em outros crimes. Os latrocínios recuaram 26,09%, passando de 23 para 17 casos e vítimas, e os assaltos em geral recuaram 8,51%, de 17.926 para 16.401, e os furtos, 4,35%, de 42.711 para 40.853. Os roubos de veículos, por sua vez, baixaram 5,06%, de 5.196 para 4.933, e os furtos, 6,11%, com 513 casos a menos. Por fim, os estupros diminuíram 7,76%, de 889 para 820 casos.

(Jaqueline Harumi/AAN)