Publicado 25 de Janeiro de 2018 - 5h30

A Secretaria de Transportes, por meio da Empresa Municipal de Desenvolvimento de Campinas (Emdec), realizou na manhã de ontem a segunda reunião para a apresentação do diagnóstico do Plano Viário e de Mobilidade Urbana de Campinas. O encontro foi aberto no Auditório da Informática dos Municípios Associados (IMA), no bairro da Ponte Preta, e também marcou a abertura da Conferência Municipal de Trânsito e Transporte. O primeiro evento ocorreu na semana passada e foi voltado apenas para os representantes das secretarias municipais.

O Plano Viário tem como objetivo promover uma série de obras, ao longo dos próximos 10 e 25 anos para viabilizar melhorias e incrementos para o transporte coletivo e também para pedestres e ciclistas do Município. A nova diretriz deverá ser votada nos próximos meses e as futuras administrações da Prefeitura deverão seguir o planejamento, que visa um transporte mais sustentável e eficiente na cidade.

O secretário de Transportes e presidente da Emdec, Carlos José Barreiro, ressaltou a importância da iniciativa. “Isso nunca foi feito aqui no município. Estamos desenhando um projeto no qual pretendemos sanar as dificuldades e os problemas que a cidade enfrenta sob a ótica de mobilidade urbana. Com isso, vamos desenhar quais são as soluções que irão compor um conjunto de obras que a cidade terá que desenvolver ao longo desses anos todos”, explicou o secretário.

Durante o evento, o diagnóstico do Plano Viário foi apresentado à sociedade civil pela equipe da empresa Toronto Transit Commission (TTC), responsável pela elaboração do estudo, em conjunto com equipe técnica da Emdec. O documento se soma ao Plano de Mobilidade Urbana para os próximos anos.

Ambos têm como princípio o Desenvolvimento Orientado pelo Transporte Sustentável (DOTS), pontos de priorização do transporte público coletivo. Os conceitos estão inseridos no Plano Diretor Estratégico (PDE) do município e envolvem oito pontos principais: caminhar, pedalar, conectar, usar, promover mudanças, adensar, misturar e compactar.

Para Barreiro, o momento é um marco para a cidade. “Estamos construindo um documento histórico, por meio do qual Campinas terá um planejamento de longo prazo para o trânsito e o transporte”, afirmou.

O próximo passo do trabalho visa a discussão das soluções aos problemas apresentados a partir da radiografia no setor, já realizada do município. Nos próximos meses, haverá a construção de uma minuta de projeto de lei, que depois seguirá para tramitação na Câmara. (Henrique Hein/AAN)