Publicado 03 de Janeiro de 2018 - 5h30

Uma alteração na qualidade de água do Rio Atibaia, na manhã de ontem, impactou o funcionamento da ETA II, estação de tratamento de água, localizada no Parque Itália, em Sumaré. O local é responsável por abastecer cerca de 70% da população da cidade. Os moradores dos bairros das regiões de Nova Veneza, Maria Antônia e Matão tiveram os seus abastecimentos impactados.

A empresa BRK Ambiental informou que identificou na manhã de ontem, em monitoramento de rotina realizado no Atibaia, uma alteração na qualidade da água do manancial e, que por esse motivo, avaliou a necessidade de interromper a captação, por uma medida de segurança, a fim de minimizar os impactos que a água imprópria poderia causar no abastecimento de água da população de Sumaré.

A Cetesb, agência ambiental do Estado, foi acionada e enviou representantes ao local ainda no período da manhã. Os técnicos coletaram amostras do rio, no trecho de captação, para realizar análises mais aprofundadas em laboratórios. Segundo a agência ambiental, somente após os resultados das pesquisas é que será possível descobrir o que teria acontecido com a água. Até o fechamento dessa edição ainda não havia informações sobre as substâncias presentes no manancial.

Assim que detectou a retomada da qualidade da água bruta no rio, por volta das 15 horas de ontem, a concessionária voltou a operar o sistema de captação para regularização do abastecimento das áreas da cidade atendidas pela ETA II. A previsão, segundo a empresa, era de normalização total do sistema hídrico até as 23 horas de ontem.

A BRK Ambiental, por meio de nota, disse ainda que realiza o monitoramento sistemático de suas captações, com o objetivo de garantir a qualidade da água que é distribuída à população. Em caso de dúvidas, os moradores podem entrar em contato com a concessionária por meio do telefone 0800 771 0001. A ligação é gratuita e o atendimento funciona 24 horas por dia.

O Correio tentou ouvir a Prefeitura de Sumaré, mas não obteve respostas.

Prefeitura de Morungaba inicia a limpeza dos estragos

Depois de uma virada de ano com muitos estragos causados por um temporal, a cidade de Morungaba ainda está se reorganizando nestes primeiros dias de 2018. A Prefeitura informou que ainda está contabilizando os prejuízos. A Defesa Civil informou que a limpeza geral nos pontos mais afetados começou a ser feita na manhã de ontem. As pontes que foram danificadas com o temporal seguem interditadas, aguardando verbas para solucionar os problemas.

A cidade registrou diversos pontos de alagamento, queda de duas pontes e cinco famílias precisaram deixar as residências. A chuva durou apenas 50 minutos e foram registrados 103 milímetros de chuva - o equivalente ao esperado para 10 dias. Cerca de 40 casas foram atingidas no Centro, na Vila Mariana e no bairro São Benedito.

As famílias afetadas pelo forte temporal puderam voltar para casa anteontem. “As cinco famílias que tiveram suas casas alagadas foram visitadas pela Diretoria Municipal de Ação Social, que constatou que a maioria das perdas foi de móveis, principalmente sofás e guarda-roupas. A Prefeitura promoverá ainda nesta semana uma ação do sentido de arrecadar doações destes móveis”, informou a Administração.

Duas quedas de ponte foram registradas no temporal. A primeira é a que liga Morungaba à cidade de Tuiuti. A Prefeitura informou que os motoristas têm como alternativa para o acesso a estrada vicinal paralela. A outra ponte fica localizada na Vila Mariana. A Prefeitura afirmou que desde a noite do dia 31 a cidade começou a articular as verbas para o conserto das pontes e de outros estragos causados pela chuva. Segundo o coordenador da Defesa Civil, 20 funcionários participaram da limpeza. (VA/AAN)