Publicado 02 de Janeiro de 2018 - 5h30

O Réveillon é o momento em que um novo calendário anual é iniciado. Em muitas culturas ao redor do mundo, o evento é comemorado de alguma maneira, principalmente na véspera da data. Por ser um momento que simboliza a renovação, o que nunca falta para a grande maioria das pessoas são as “famosas” promessas e sonhos que possam vir a se realizar durante o novo período que vem pela frente. Sendo assim, o Correio foi às ruas para tentar descobrir quais são os desejos e os sonhos dos campineiros para 2018.

Estabilidade financeira é a meta do professor de português e inglês Davi Mesquita. Ele comentou que em 2017 precisou passar por um momento de transição, após deixar a casa dos pais. “Eu sou professor por contrato e meu desejo é passar em um concurso público para conseguir uma estabilidade financeira melhor. Esse ano eu gastei mais do que eu deveria, por que eu comecei a morar sozinho e passei aperto”, disse o jovem de 20 anos, que apesar de não criar muitas expectativas, explicou ainda que sonha em ver o mundo mais tranquilo neste ano que se inicia. “No Brasil tivemos um ano político muito complicado e no mundo como um todo vimos as principais potências fazendo diversas ameaças umas às outras. Apesar de ser algo meio utópico, não custa desejar que o amor pelo próximo prevaleça, independentemente da raça, da cor e da visão de mundo de cada uma das pessoas”, comentou o professor.

A designer gráfica Thaís Belletatti disse que tem uma promessa para cumprir em 2018. Bem-humorada, a jovem de 25 anos, contou que vai seguir uma rotina de exercícios físicos. ”Eu quero ter vergonha na cara e finalmente fazer tudo aquilo que eu deveria ter feito em 2017. Vou iniciar o meu projeto fitness para ficar bem bonitona para o meu marido”, explicou.

Já o músico Lucas Souza, de 30 anos, quer aprender novos instrumentos. Atualmente, ele leciona aulas de saxofone. Com o dinheiro que juntou no ano, a expectativa dele para 2018 é concluir alguns módulos instrumentais. “A minha meta para 2018 é estudo. Eu toco saxofone e pretendo fazer um curso de música por fora para aprimorar as minhas habilidades. A área de música está bastante defasada, então é sempre importante se manter atualizado”, explicou o músico, que também espera encontrar no ano que vem uma sociedade mais justa e com pessoas mais tolerantes. “As pessoas hoje andam brigando por qualquer coisa boba. Minhas orações são para que 2018 reserve muita paz nos nossos corações, muitas amizades e alegrias, acima de tudo”, contou.

Celebração

Além dos desejos e sonhos, o campineiro, assim como quase todos os brasileiros, costuma se entregar, sem muito questionamento, às mandingas do ano novo. E tal qual nosso corpo, comportamento e roupas, nossa casa também pode ser especialmente preparada para a chegada da data comemorativa.

Acostumada a preparar comidinhas nos dias de trabalho, a comerciante Juliana Nogueira ofereceu um jantar e os aposentos de sua casa para que amigos e familiares passassem o momento especial em sua companhia. Para ela, a data do dia 31 de dezembro possui um significado especial. “Essa época do ano reserva muito mais que apenas um dia. É um momento de celebração e de renovação de energias positivas. É um momento em que, muitas vezes, se apresenta para nós como uma forma de autorreflexão. O que nós fizemos de bom e de ruim, o que deixamos de fazer, o que poderíamos ter feito de diferente, são todos pensamentos que nos fazem ser pessoas melhores com o passar do tempo”, disse a comerciante.