Publicado 26 de Janeiro de 2018 - 18h30

Por AFP

A polícia de Toronto determinou que as mortes do bilionário canadense Barry Sherman, fundador do grupo farmacêutico Apotex, e de sua mulher em meados de dezembro foram um duplo homicídio, informou a instituição nesta sexta-feira ao fim da investigação.Após seis semanas de pesquisas, "temos provas suficientes para determinar que se trata de uma investigação por duplo homicídio e que Barry e Honey Sherman eram de fato o alvo" deliberado, disse a inspetora Susan Gomes durante uma entrevista coletiva.A responsável, no entanto, não mencionou se há um ou vários suspeitos. Os corpos do casal foram encontrados no dia 15 de dezembro em sua casa em Toronto.Gomes confirmou que o casal foi estrangulado. Barry, de 75 anos, e Honey Sherman, de 70, "foram encontrados mortos no subsolo onde fica a piscina, pendurado com um cinto para uma grade de proteção e em posição semi-sentada. Eles estavam usando suas roupas", declarou.Os primeiros elementos da investigação, segundo indicou, permitiam afirmar que os Sherman "foram vistos vivos pela última vez na quarta-feira pela noite", ou seja, dois dias antes de descobrirem seus corpos.Não se encontraram provas de roubo na luxuosa moradia do casal em Toronto.Em 1974, Barry Sherman criou a Apotex, empresa especializada na fabricação de medicamentos genéricos e com mais de 11.000 funcionários no mundo. Ele era presidente do conselho administrativo da companhia.A fortuna dos Sherman foi estimada em 3,8 bilhões de dólares.mbr/jl/elm/val/lda/cc

Escrito por:

AFP