Publicado 26 de Janeiro de 2018 - 16h50

Por AFP

O crescimento americano ficou abaixo da barra de 3% no quarto trimestre, decepcionando analistas, mas confirmando um dado melhor para o conjunto de 2017, o primeiro ano de Donald Trump na Casa Branca.O Produto Interno Bruto (PIB) dos Estados Unidos avançou 2,6% no quarto trimestre, após marcar 3,2% nos três meses anteriores, apontam dados divulgados nesta sexta-feira (26) pelo Departamento americano do Comércio.Analistas estimavam uma alta de 2,9% para o último trimestre de 2017.O crescimento anual foi de 2,3%, contra 1,5% em 2016, mas longe da meta de 3% prevista pelo presidente Donald Trump.Os dados ainda não refletem o estímulo antecipado à atividade econômica provocado pelos cortes de impostos aprovados pelos republicanos no mês passado, apesar de previsões iniciais sugerirem que o crescimento adicional será modesto. Trump foi eleito há um ano com base em uma agenda nacionalista que visava aumentar o crescimento a 3% através da ativação da indústria e da redução de déficits comercial e fiscal, limitando a imigração.O PIB mostra que o crescimento no quarto trimestre foi estimulado por consumo, exportações, aumento da venda de imóveis, investimentos comerciais e despesas governamentais nos níveis local e federal.As exportações foram impulsionadas pelo dólar fraco, subindo 12,6% em relação aos três meses anteriores, o maior aumento em quatro anos. Mas as importações, que pesam no PIB, cresceram mais (13,9%), sua mais expansão em sete anos.Analistas destacam que, apesar do resultado decepcionante no período, há diversos dados animadores, inclusive a alta do consumo individual. "Em suma, o crescimento foi bem menor que o esperado, quebrando as esperanças de registrar um terceiro trimestre seguido com crescimento de 3% ou mais, pela primeira vez desde 2005, mas os detalhes foram mais fortes que a cifra global", opinou Jim O'Sullivan da High Frequency Economics.Os bens duráveis deram outro sinal animador no trimestre, com vendas em alta de 8,2%.vmt/eb/cd/ll/tt

Escrito por:

AFP