Publicado 03 de Janeiro de 2018 - 9h20

Por Estadão Conteúdo

A Guiné Equatorial afirmou nesta quarta-feira que abortou um golpe de Estado durante o período de festas por parte de um grupo de mercenários, segundo um comunicado do ministro da Segurança, Nicolás Obama Nchama.O ministro explicou que foi ativada de imediato uma operação com os serviços de segurança de Camarões e assegurou que os mercenários mencionados foram contratados por militantes de certos grupos políticos da oposição radical com o apoio de algumas potências, cujos nomes não mencionou.Em 27 de dezembro, a polícia de Camarões prendeu cerca de 30 homens armados na fronteira com a Guiné Equatorial.Nesse mesmo dia, foram fechadas as fronteiras da Guiné Equatorial com o Gabão e Camarões, onde ocorreram as prisões.Desde as eleições gerais de 12 de novembro, nas quais o poder obteve 99 dos 100 cadeiras no parlamento, o partido opositor Cidadãos pela Inovação (CI), denuncia dezenas de prisões de seus militantes nas capitais política, Malabo, e econômica, Bata.sam/ah/pc/ra/cn

Escrito por:

Estadão Conteúdo