Publicado 02 de Janeiro de 2018 - 11h00

Por Estadão Conteúdo

O parlamento israelense aprovou nesta terça-feira um projeto de lei que visa a dificultar a divisão da soberania de Jerusalém entre Israel e os palestinos em um eventual acordo de paz.O projeto, aprovado por 64 votos contra 51, prevê que qualquer cessão de uma parte de Jerusalém aos palestinos necessita ser aprovada por dois terços do parlamento israelense.O projeto, apresentado por um deputado do partido partido nacionalista Lar Judeu, também permite modificar a definição "municipal" de Jerusalém, de forma que alguns setores da cidade sejam "declarados como entidades separadas", segundo um comunicado do parlamento israelense.Este projeto complica ainda mais a esperança de uma solução de dois Estados no conflito israelense-palestino, menos de um mês depois da decisão do presidente americano Donald Trump de reconhecer Jerusalém com capital de Israel.Israel ocupa Jerusalém Oriental e a Cisjordânia desde a guerra de 1967.Em 30 de julho de 1980, o parlamento israelense aprovou a anexação de Jerusalém, decisão condenada pelo Conselho de Segurança da ONU em 20 de agosto do mesmo ano.Israel considera que sua capital é o conjunto de Jerusalém, enquanto que os palestinos aspiram a que Jerusalém Oriental seja a capital de um futuro Estado palestino."Garantimos a unidade de Jerusalém", declarou no Twitter o ministro da Educação Naftali Bennett, líder do Lar Judeu."O Monte das Oliveiras, a Cidade Velha e a Cidade de David continuarão sendo nossos para sempre", acrescentou, referindo-se a lugares situados na parte palestina de Jerusalém.O deputado opositor Dov Khenin disse que a lei também deveria se chamar "lei para impedir a paz" e que teme que termine provocando "um banho de sangue".jjm/mjs/mer/bpe/zm/ra/cn

Escrito por:

Estadão Conteúdo