Publicado 03 de Janeiro de 2018 - 20h05

Por Carlos Rodrigues

Umberto destaca a tradição do clube:

Gabriel Ferrari/Guarani Press

Umberto destaca a tradição do clube: "Os atletas precisam ser convencidos que devemos ser protagonistas"

Surpreendida pela repentina saída de Fernando Diniz para o Atlético-PR, a diretoria do Guarani recorreu a uma solução caseira para preencher a vaga de técnico do clube para 2018. Auxiliar na comissão fixa do Bugre, Umberto Louzer foi confirmado como treinador da equipe na disputa da Série A2 do Campeonato Paulista.

A decisão de efetivar o profissional foi tomada para causar o menor impacto possível no grupo. Umberto já está no clube desde fevereiro do ano passado, conhece bem os atletas e é querido por eles. Além disso, participou de todo o processo que envolveu o planejamento para a temporada, desde a formação do elenco à presença nos treinamentos de Diniz. Assim, o Bugre conta com alguém já familiarizado ao invés de iniciar o processo do zero.

“A melhor solução tiramos de casa”, disse o presidente do Guarani, Palmeron Mendes Filho. “A partir do momento que o Diniz nos comunicou da saída, o único nome cogitado foi do Umberto. Não pensamos em nenhum outro treinador”.

Aos 37 anos, Umberto Louzer atuou profissionalmente como volante, inclusive com passagem pelo Guarani entre 2005 e 2007. Como treinador, levou o Paulista à final da Copa São Paulo de Futebol Júnior no ano passado, mas o time foi eliminado por conta da adulteração de idade de um dos atletas. Antes de chegar ao Bugre, ele dirigiu a equipe profissional do clube de Jundiaí por quatro vezes na A3 de 2017.

Com menos de duas semanas para trabalhar a equipe antes da estreia, o novo treinador disse que pretende utilizar algumas ideias do antecessor, mas colocando também a sua cara. “Me identifico com várias coisas que o Diniz implantou nesse período. Também sou adepto do bom futebol e gosto de uma equipe que jogue para frente”, afirmou. “Vou buscar um time equilibrado. O Diniz tem uma convicção de trabalho e eu tenho a minha. Prometo sempre entrega e uma equipe que compete do início ao fim. Essa é a marca que gosto nas minhas equipes e que tentarei fazer os jogadores absorverem”.

O Guarani ainda não definiu a duração do contrato de Umberto na nova função, mas a tendência é que ele tenha vínculo apenas para a Série A2. Competição em que ele pretende dar tudo de si. “Vejo o Guarani como quinta força do futebol paulista e é preciso fazer valer isso. Os atletas precisam ser convencidos que devemos ser protagonistas no campeonato”.

Bruno Nazário

Terminou nesta quarta-feira (3) a novela envolvendo o futuro de Bruno Nazário. O meia, que também interessava ao Paraná, se apresentou ao Bugre e já iniciou a pré-temporada em Jaguariúna. A renovação de empréstimo com o Hoffenheim ainda não foi assinada, mas o jogador fica até junho em Campinas.

Outras duas caras novas nesta quarta foram os goleiros Bruno Brígido e Wallace, que chegam de Coritiba e Vitória, respectivamente.

A diretoria bugrina ainda trabalha para confirmar nos próximos dias mais três contratações. Os alvos são um zagueiro, um meia e um centroavante.

Futebol Júnior

Em tarde inspirada dos goleiros e pouco feliz dos atacantes, Guarani e Criciúma ficaram no empate em 0 a 0, nesta quarta-feira, no Estádio Cláudio Rodante, em Florianópolis, na estreia das equipes na Copa São Paulo de Futebol Júnior. As duas equipes dividem a segunda posição do Grupo 1, que tem o Madureira na liderança. No sábado, o Bugrinho enfrenta o Fernandópolis, às 16h, precisando da vitória.

Guarani e Criciúma fizeram um jogo disputado. Os catarinenses foram superiores no primeiro tempo e criaram boas chances de gol. A melhor foi aos 23’. Eduardo parou em ótima defesa de Carlão e Natan, com o gol aberto, desperdiçou o rebote. Com as entradas de Abraão e Serafim no intervalo, o Bugrinho voltou melhor. Aos 6’, Abraão fez jogada individual, bateu cruzado e Diego espalmou. Ronaldo, após cruzamento, também assustou os catarinenses.

No fim, o jogo pegou fogo de vez. Lucas puxou contra-ataque para o Criciúma, aos 38’, bateu cruzado e Carlão salvou com a ponta dos dedos.

Quem teve tudo para ganhar, no entanto, foi o Guarani. Foram três ótimas chances. Elias tentou de cobertura e errou, Leozinho furou de frente pro gol e, para fechar, Ronaldo parou em outra defesa de Diego. Na tarde dos goleiros, terminou mesmo 0 a 0. 

Escrito por:

Carlos Rodrigues