Publicado 25 de Janeiro de 2018 - 22h34

Por Rogério Verzignasse

Até 2019, muita gente no bairro sofrerá com as ruelas íngremes e esburacadas, onde é difícil até caminhar


FOTO: Patrícia Domingos/AAN

Patrícia Domingos/AAN

Até 2019, muita gente no bairro sofrerá com as ruelas íngremes e esburacadas, onde é difícil até caminhar FOTO: Patrícia Domingos/AAN

A Prefeitura de Campinas planeja executar, dentro de 20 meses, os serviços de pavimentação das ruas da Vila Vitória, localizada na região do Vida Nova, distrito do Ouro Verde. O governo Jonas Donizette (PSB) promoveu o aditamento de um contrato firmado ainda em dezembro de 2015. Na época, prometeu o prefeito, 32 ruas seriam asfaltadas até o final de 2017. Mas o tempo passou e a crise econômica mudou os projetos. Até 2019, muita gente ainda sofrerá com as ruelas íngremes e esburacadas, onde é difícil até caminhar.

O asfalto é o único benefício público que falta aos dez mil moradores do bairro, que nasceu como uma área de ocupação. No começo eram 1.817 lotes demarcados de maneira improvisada, onde não existia sequer água encanada. A situação começou a melhorar há uma década, quando aconteceu a regularização fundiária do local. Ao mesmo tempo em que recebiam a escritura dos lotes, os moradores começavam a receber os serviços públicos essenciais.

O presidente da associação dos moradores do bairro, Fábio Nunes, afirma que hoje todas as moradias são servidas pela coleta de lixo, rede de captação de esgoto, iluminação pública e água encanada. “A vida por aqui mudou demais. Ficamos, sim, chateados porque a promessa do asfalto até 2017 não foi cumprida. Mas o aditamento do contrato nos conforta. Só nos falta isso”, disse Nunes.

Queixas

Quem mora ou trabalha na Vila Vitória reclama demais da situação das ruas. Caso, por exemplo, da jovem Thalia Lucas dos Santos, que há dois anos trabalha distribuindo panfletos comerciais pelos bairros do distrito do Ouro Verde. Ela se acostumou com torções, topadas no dedão, cortes provocados por pedras e cacos de vidro. “A Prefeitura precisa apressar a pavimentação. A população sofre demais”, reclama.

O secretário municipal de Serviços Públicos, Ernesto Paulella, afirmou nesta quinta-feira (25) que a Vila Vitória é, de fato, um dos últimos bairros do distrito do Ouro Verde não contemplados com a pavimentação. O terreno acidentado, admitiu, tornam as ruas intransitáveis quando chove. Ele confirmou o aditamento do contrato para execução das obras em 20 meses e afirmou que, no período, servidores da subprefeitura farão serviços de manutenção na área, com nivelamento das vias e remoção de entulho.

 

 

Escrito por:

Rogério Verzignasse