Publicado 03 de Janeiro de 2018 - 23h07

Por Henrique Hein

Mario Alberto Santana, de 53 anos, professor da Unicamp: tragédia

Divulgação

Mario Alberto Santana, de 53 anos, professor da Unicamp: tragédia

O professor do Departamento de Artes Cênicas do Instituto de Artes da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) Mario Alberto de Santana, de 53 anos, morreu afogado ao salvar o filho, de 9 anos, anteontem, na praia da Bombaça, em Barra Grande, na Península de Maraú, na Bahia. Ele conseguiu evitar o afogamento do menino. 

De acordo com a instituição de ensino, Santana estava passando as férias com a família no local do incidente. O professor possuía graduação em ciências sociais e curso de mestrado em letras, ambos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ). Também tinha doutorado em artes cênicas pela Universidade de São Paulo (USP). No Departamento de Artes Cênicas da Unicamp, o docente trabalhava com teatro contemporâneo, dramaturgia das ações cênicas, ator-criador, gramáticas da cena: o tempo e o espaço, o vazio e o silêncio como matrizes do discurso cênico.

Mario Santana também era o coordenador da seleção em artes cênicas do Vestibular da Universidade Estadual de Campinas. Ele participava da seleção para o curso que existe há 15 anos. Também ajudou a definir, a partir das provas específicas, o perfil de aluno.

Em um depoimento produzido pela TV Unicamp, o professor aparece nas imagens ressaltando a importância de estar sempre repensando essas provas, no sentido de aprimorar a seleção. Segundo ele, “há 15 anos percebíamos que muitos estudantes chegavam ao curso sem conhecer o universo que escolheram para sua formação. A partir dessa percepção, reelaboramos a prova, de maneira a indicar aos candidatos que, sim, é preciso um conhecimento prévio sobre o universo das artes cênicas”, comentou.

O corpo do professor foi velado no ginásio esportivo de Vila de Maraú e sepultado ontem a tarde, no Cemitério de Mangue Verde, em Maraú.

Escrito por:

Henrique Hein