Publicado 02 de Janeiro de 2018 - 22h15

Por Agência Brasil

Doações de roupas para famílias que perderam casas em incêndio ano passado no Jd. Itatiaia, em Campinas

Patrícia Domingos/AAN

Doações de roupas para famílias que perderam casas em incêndio ano passado no Jd. Itatiaia, em Campinas

Os brasileiros mais pobres doam proporcionalmente três vezes mais dinheiro às igrejas e instituições carentes que os mais ricos. Aqueles que ganham até R$ 10 mil por ano, doam cerca de R$ 100,00 para ajudar o próximo em 365 dias. O valor representa 1,2% da renda. Enquanto, os que recebem até R$ 100 mil anuais, doam R$ 300,00 por ano, apenas 0,4% da renda.

Foi o que revelou pesquisa Giving Report 2017 Brasil, que ouviu 1.313 pessoas de todo o País. Os dados indicam que quase dois terços dos participantes fizeram doações nos últimos 12 meses. A quantia média geral foi de R$ 250,00. A forma de doação mais popular é entregar o dinheiro diretamente no local escolhido para ajudar.

A dona de casa Ereni Sabino tem esse perfil e doa 10% de tudo que ganha para a igreja evangélica que frequenta.

Pedido

O levantamento nacional foi feito pelo Instituto YouGov, a pedido Fundação de Auxílio de Caridade. No Brasil, o órgão é representado pelo IDIS- Instituto para o Desenvolvimento do Investimento Social.

A diretora presidente do órgãos, Paula Fabiani, explica para quais setores os brasileiros mais doam. Quem ganha mais, costuma fazer doações para entidades de proteção ao Meio Ambiente e instituições médicas. Já os com renda menor, são mais propensos a doarem para projetos de moradias populares.

Outro dado curioso revelado pela pesquisa é que os brasileiros doam para se sentirem bem.

Outros motivos são pela preocupação com a causa, por acreditar que todos precisam ajudar a resolver problemas sociais e também por querer ajudar as pessoas menos favorecidas.

Escrito por:

Agência Brasil