Publicado 24 de Janeiro de 2018 - 18h27

Por Estadão Conteúdo

O desembargador Victor Laus decidiu acompanhar os outros dois magistrados da Tribunal Regional Federal (TRF-4) e rejeitou os pedidos preliminares da defesa do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, condenado por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

O defensor de Lula, Cristiano Zanin, fez uma série de pedidos junto ao tribunal. Entre eles, estava a suspeição do juiz Sérgio Moro e o questionamento sobre a competência da Vara de Curitiba para analisar o caso. Essas e outras questões foram afastadas por todos os magistrados da 8ª Turma.

Ao negar os pedidos dos advogados do petista, Laus disse também que há provas documentais no processo "para quem quiser ver". "Por que alguém reforma um imóvel se não tem interesse nele?", questionou.

O magistrado ainda reforçou que é o "contexto geral" que vai unir elementos para sustentar uma convicção num caso como o do ex-presidente. Ele disse que todos os depoimentos do processo foram complementares. "Como juiz, tenho que ter segurança para tomar decisão", salientou.

Escrito por:

Estadão Conteúdo