Publicado 04 de Dezembro de 2017 - 18h06

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

Carlos Rodrigues

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A troca do comando técnico do Guarani, confirmada na semana passada, mudou também a perspectiva de alguns jogadores do elenco que disputou a Série B do Brasileiro. Por conta da troca de Lisca por Fernando Diniz, a diretoria bugrina paralisou as negociações de renovação – o único que estendeu o vínculo foi Fumagalli. A atitude incomodou os atletas, que ainda aguardam um contato dos dirigentes para que possam definir o futuro. Foi dado um prazo até amanhã para que as situações sejam definidas.

A chegada de Diniz tem tudo a ver com isso. Afinal, antes da confirmação do novo treinador, os dirigentes já tinham em mãos uma lista de atletas que tinham boas chances de ficar e, inclusive, haviam iniciado as tratativas com eles. Com a vinda do comandante, isso mudou, já que o aval dele será determinante na montagem do elenco para a próxima temporada. Alguns dos jogadores que esperam essa conversa por parte dos cartolas bugrinos já receberam sondagens de outros clubes, mas preferiram esperar a posição final do Guarani antes de dar sequência a qualquer outra negociação.

Por enquanto, os únicos com presença garantida para 2018 são Lenon e Salomão, que possuem contrato em vigência, e Fumagalli, que anunciou na semana passada a sequência da carreira. Paralelo a isso, Diniz e o departamento de futebol tentam encaminhar a chegada dos primeiros reforços. O goleiro Felipe Alves e o atacante Bruno Paulo, que atuaram com ele no Audax, estão entre as prioridades, mas o Bugre trata todas as negociações com cautela e só se posicionará quando o acerto estiver concretizado

Ranking

A CBF anunciou ontem seu ranking de clubes para 2018 e, como o Correio Popular havia adiantado no último dia 20, o Guarani mais uma vez não participará da Copa do Brasil. Será a quarta ausência seguida do Bugre no segundo torneio mais importante em âmbito nacional.

De acordo com os critérios adotados pela entidade, que compreende resultados das últimas cinco temporadas, o Guarani subiu três posições em relação ao ano passado – de 51º para 48º – e agora tem 2.617 pontos. Isso, no entanto, é insuficiente para que o clube dispute a Copa do Brasil, já que, como não conseguiu uma vaga via Estadual, contava o ranking. O último que entrou foi o Londrina, o 40º.

A ausência na Copa do Brasil, além do valor esportivo, também atrapalha o Guarani na questão financeira, já que, para 2018, a CBF valorizará o torneio com o aumento na premiação aos participantes.

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva