Publicado 02 de Dezembro de 2017 - 5h30

A primeira biblioteca comunitária de Campinas foi inaugurada, na tarde de ontem, na Escola Municipal Estadual Oziel Alves Pereira, localizada no bairro do Parque Oziel – uma das maiores ocupações urbanas da América Latina, com cerca de 30 mil habitantes. A apresentação do monumento literário é uma parceria entre a Prefeitura Municipal de Campinas com o Instituto Ecofuturo, a CPFL Energia e o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Segundo o vice-prefeito de Campinas, Henrique Magalhães Teixeira (PSDB), o objetivo da ação é criar um espaço totalmente aberto para o uso dos livros na comunidade carente. Ele explicou que a biblioteca comunitária será uma das cinco unidades de referência do projeto da Secretaria Municipal de Educação para implantação de uma rede de bibliotecas em Campinas. “A leitura é um instrumento de perseverança e educação. Para os próximos anos, pretendemos ampliar essa ideia para todos os outros demais pontos da cidade de Campinas”, comentou Teixeira.

A nova biblioteca vai complementar o acervo que já existia na escola. Ao todo, serão mil livros novos de literatura – 70% deles já foram selecionados por especialistas da Fundação Nacional do Livro Infantil e Juvenil, enquanto o restante ainda será escolhido pela comunidade. Atualmente, a escola atende mais de 1,1 mil alunos do Ensino Fundamental e da Educação de Jovens e Adultos (EJA).

Durante a implantação do projeto, cerca de 30 educadores, professores e moradores da região participaram de uma oficina sobre educação socioambiental e de cursos de formação sobre promoção de leitura e gestão de biblioteca. Os eventos foram oferecidos gratuitamente pelo Ecofuturo e pela CPFL Energia.

“Acreditamos que são ações como essa, com articulação intersetorial, envolvimento da comunidade e investimento em educação, que levam a grandes transformações sociais”, afirmou Marcela Porto, superintendente do Instituto Ecofuturo.

Buscando reforçar o vínculo da comunidade com o projeto, a nova biblioteca ainda recebeu o nome de João Antônio Nascimento da Silva – uma homenagem feita pelos estudantes e moradores do Parque Oziel a um ex-aluno com deficiência mental da escola, que faleceu em 2016.

Carlos Zamboni Neto, diretor da CPFL Energia, explicou que a inauguração da biblioteca oferece uma oportunidade única de investir na educação. “Todos nós sabemos que o futuro de um país passa pela Educação. Então, sem dúvida alguma, estarmos aqui para inaugurar uma biblioteca com mais de mil livros e que leva o nome de um aluno especial adorado por todos os moradores da comunidade, é um privilégio para poucos”, finalizou o diretor.