Publicado 25 de Julho de 2016 - 15h26

Por Delminda Aparecida Medeiros

Cupinzeiro estreia novo show no Castro Mendes

Delma Medeiros

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

O Núcleo de Samba Cupinzeiro completa 15 anos de atividade e como parte das comemorações prepara a estreia de um novo trabalho – show e DVD -, resultado de uma pesquisa sobre o samba rural campineiro e os sambas de roda cantados no Recôncavo baiano. Contemplado pelo Programa de Ação Cultural do Estado de São Paulo (ProAC), o show Marejante – Sambas do Nordeste, mesmo nome do DVD que será gravado ao vivo, faz sua estreia sábado no Teatro Municipal José de Castro Mendes, circula pelas cidades de Socorro e Ourinhos e faz sua última apresentação em agosto, em São Paulo, onde será feita a gravação do DVD.

“Há anos pesquisamos sobre os batuques, os formadores do samba de São Paulo, que eram cantados por escravos do século 19 em fazendas de café em Campinas. Nesse trabalho descobrimos registros de letras que ainda hoje são cantadas nas rodas de samba da Bahia. Juntamos as duas referências e montamos o projeto”, explica Anabela, percussionista, vocalista e diretora artística do grupo.

Segundo ela, Marejante propõe um caminho com referências do sertão até o mar, “do homem que sai do sertão em busca no mar e acaba parando em São Paulo”, e se configura como uma homenagem à cultura nordestina, presente na formação musical do Sudeste. “Nas pesquisas que desenvolvemos no Centro de Memória da Unicamp localizamos partituras feitas pela neta do Barão Geraldo de Rezende, Amélia, registrando os sambas cantadas pelos escravos. No nosso projeto Samba Paulista Sim Senhor (2007), incluímos três dessas canções. E na Bahia ouvimos as mesmas ladainhas nas rodas de capoeira. O samba rural paulista tem mesmo influência da música baiana”, afirma Anabela. “O argumento do espetáculo parte deste elo musical entre os dois estados.”

No repertório, músicas de compositores nordestinos ou que tenham temas que se aproximam da tradição do Nordeste, como Luiz Gonzaga, Dominguinhos, Sivuca, ao lado de outros não tão conhecidos no Sudeste como Rock Ferreira, Batatinha e Eduardo Gentil, além de músicas inéditas de integrantes do Cupinzeiro, compostas para o projeto. “Nessa busca, não ficamos apenas no samba, tem também baião e forró”, diz Anabela.

O Núcleo Cupinzeiro é um coletivo de oito músicos que trabalha com pesquisa e criação voltadas para a tradição do samba. Desenvolve atividades que incluem shows, rodas e oficinas, nos quais apresenta um pouco da memória do samba sob novas interpretações e arranjos, mantendo sempre diálogos vivos com a tradição.

Agende-se

O quê: Marejante – Sambas do Nordeste com Núcleo Cupinzeiro

Quando: Sábado (30), às 20h

Onde: Teatro Castro Mendes (Praça Corrêa de Lemos, s/nº, Vila Industrial, fone: 3272-9359)

Quanto: R$ 20,00

Escrito por:

Delminda Aparecida Medeiros