Publicado 25 de Julho de 2016 - 19h41

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

Fotos: Edu Fortes

Jaqueline Harumi

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Cerca de mil comprimidos de quatro medicamentos de venda proibida no Brasil foram apreendidos armazenados em um box de eletrônicos do camelódromo de Campinas e três homens foram presos ontem à tarde pelos investigadores do 1º Distrito Policial. Segundo a Polícia Civil, foram apreendidos 740 comprimidos de Rheumazin Forte, 180 de Pramil, 60 de Desobesi-M e 28 de Cytotec. O responsável pelo box não foi localizado, pois estaria viajando na Bahia, no entanto foram presos C.C.S.N., 24 anos, que teria encaminhado até o box um policial que se passou por interessado em comprar um medicamento, e R.N.D., 28 anos, e J.R.O.S., 29 anos, que tomavam conta do box.

A comercialização dos remédios começou a ser investigada há cerca de dez dias no camelô da Rua Álvares Machado, no Centro da cidade, até o flagrante ser feito ontem, por volta das 15h. De acordo com a apuração, quatro comprimidos de Cytotec, remédio para tratamento de úlcera que é usado como abortivo, era vendido por R$ 150. Já a cartela dos medicamentos paraguaios Rheumazin, voltado para o controle da dor, e Pramil, estimulante sexual, eram comercializadas por R$ 20 e R$ 30, respectivamente. Também era possível comprar por R$ 20 a cartela de Desobesi-M, usado para o emagrecimento.

A equipe de investigação afirmou que os três detidos, todos moradores de Campinas, responderão por crime contra a incolumidade pública e a participação do responsável pelo box será apurada. Dentre os presos, N. é o único com passagem criminal, tendo saído há um mês da cadeia, onde cumpriu pena por roubo a residência na cidade de Salto. Após registro do flagrante, os três seriam encaminhados ainda ontem para a cadeia anexa ao 2º Distrito Policial.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa