Publicado 22 de Julho de 2016 - 20h16

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

Fotos: Elcio Alves

Jaqueline Harumi

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Dez dias depois de ser inaugurado renovado sob olhares encantados, o chafariz histórico do Largo do Pará, no Centro de Campinas, amanheceu seco ontem após problemas diários no bombeamento da água, o que a tornou turva e a fez atrair pombos em vez de visitantes entusiasmados. A vizinhança e quem está acostumado a passar pelo local lamentaram o rápido abandono.

Vizinha do largo, por onde faz passeios diários com o marido e o filho pequeno, a fisioterapeuta Andreza Cunha, 31 anos, afirma que o chafariz só funcionou no dia da inauguração, no último dia 12, e depois voltou a ficar sujo, com bastante folha e até panfleto na água. “A gente mudou aqui há quatro meses e acompanhou a reforma. Realmente [a Prefeitura] limpou. Está bem mais limpo, reformou o chafariz, o encheu, mas nunca vi ligado. A água ficou parada e suja e hoje [ontem] está vazio”, comenta. Segundo ela, o chafariz tornou-se o único problema de um local público que está mais bonito e bem iluminado.

O autônomo Gilberto Brás de Oliveira, 52 anos, que trabalha na feira de Economia Solidária às quartas, sextas e sábados, acompanhou a dificuldade com a bomba do chafariz. “Tentaram ligar a bomba, deu problema, depois bateu de duas a três vezes. A água ficou parada e provavelmente os moradores reclamaram do risco de dengue, daí secaram. Hoje [ontem] inclusive limparam a parte de cima, que estava com muito barro”.

Questionada sobre a situação, a Secretaria de Serviços Públicos admitiu o problema na bomba e prometeu colocar o chafariz em funcionamento na segunda-feira. Segundo a pasta, “entrou ar” e o equipamento passou a funcionar de forma intermitente até parar de vez, mas uma equipe está examinando e fazendo os reparos para a reativação no início da próxima semana. Ainda conforme a Secretaria, tudo foi limpo, tendo sido retirado qualquer resíduo para que a água fique em condições sanitárias normais. Sobre o problema tão rápido na bomba, afirmou que a falha mecânica é normal, mesmo o equipamento sendo novo, prometendo reforçar o sistema para que não volte a acontecer.

Histórico

A reativação do chafariz de 1874 foi marcada por emoção, pois ficou cerca de 15 anos sem uma gota d’água. Na inauguração, com uma nova bomba, o monumento não estava ainda com a força total de água para que ela não jorrasse para além do limite, segundo o jardineiro da Prefeitura. Em dezembro, ele chegou a ter a parte superior embrulhada em plástico preto para evitar acúmulo de água parada, um possível criadouro do mosquito Aedes aegypti.

Formado por um pedestal com três torneiras, o chafariz está no Largo do Pará desde 1933. Anteriormente, o monumento ficava no Largo do Rosário com água vinda do Córrego Tanquinho, que nasce no Largo do Pará, desce pela Rua Barão de Jaguara, depois Irmã Serafina e Anchieta e deságua no Córrego do Serafim, na Avenida Orosimbo Maia.

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa