Publicado 22 de Julho de 2016 - 12h07

Por Adagoberto F. Baptista

Madrugada tem três denúncias de extorsão no Itatinga

A madrugada desta sexta-feira, 22, foi movimentada no Jardim Itatinga, conhecida região que reúne várias casas de prostituição da cidade. Três boletins de ocorrência de extorsão foram registrados na área sendo que em um deles teve até fuga de um cliente e denúncia de espancamento de outro. A PM teve que ir ao local para retirar um cliente e uma das garotas foi até a delegacia prestar depoimento. A Polícia Civil informou que em todos os relatos a história é sempre a mesma: a direção das casas acusam os clientes de consumiram bebidas, fazerem programas com garotas e depois não quererem pagar o valor da conta.

A primeira ocorrência foi registrada no Plantão da Segunda Delegacia Seccional de Polícia por volta da 0h20 quando os estagiários JAC, 27, e FHS, 25, ambos residentes em Campinas, foram até uma casa de prostituição do bairro próxima a boate Escândalo. Os dois relataram que consumiram bebidas alcoólicas e que depois de pedirem o valor da conta se assustaram com o preço, se negando a pagar.

A partir daí, segundo os dois estagiários, seguranças da boate começaram a ameaça-los e sob intimidação obrigaram-os a entregar cartões de crédito e de débito com as respectivas senhas para que o valor da conta fosse quitado. No boletim de ocorrência não foi informado o valor que eles pagaram supostamente sob extorsão. Depois do fato, eles se dirigiram a delegacia de polícia para registrar um BO e entregaram os comprovantes de pagamento bancários. O caso é investigado pelo delegado Alexandre Ortiz Neves.

Por volta das 2h30, o Plantão da Segunda Delegacia de Polícia voltou a ficar movimentado com a presença de clientes do Jardim Itatinga. Dois homens, um motorista de 30 anos e outro de 29 anos, ambos residentes em Tremedal (Bahia),disseram que trafegavam pela avenida Dracena quando foram abordados por uma garota de programa que teria dito a eles que faria um show de strip-tease gratuito caso eles entrassem no estabelecimento.

Ainda segundo a versão da dupla, depois do show e de consumirem bebidas alcoólicas foi apresentado à eles uma conta de R$ 1.400,00, no qual eles discordaram do valor e começaram a discutir com a dona da casa. O motorista D.S.S afirmou que ele e seu amigo foram mantidos por um período em cárcere privado quando ele aproveitou de um descuido dos seguranças e conseguiu fugir do local a pé, pulando uma janela da boate, abandonando o próprio carro na rua.

No caminho até a delegacia, o motorista disse que chamou a PM e depois registrou o BO na Polícia Civil. Já o seu colega afirmou que foi espancado por seguranças com chutes e socos e que só foi liberado com a chegada de dois policiais militares.

Outro lado- No Plantão da Segunda Delegacia Seccional, compareceu uma garota de programa identificada como Jéssica, de idade não divulgada, que negou os fatos. De acordo com a dançarina, os dois se divertiram na boate, contrataram um show de strip e depois não quiseram pagar a conta.

Depois de apurado o relato de todas as partes, todos foram liberados. Foi requisitado ainda um exame no IML (Instituto Médico Legal) para verificar a existência de lesões nos denunciantes.

O Correio apurou que as ocorrências de averiguação de extorsão envolvendo as casas de prostituição do Jardim Itatinga estão todas sendo investigadas pelo 6 Distrito Policial e que já são vários inquéritos policiais instaurados para investigar os fatos.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista