Publicado 20 de Julho de 2016 - 18h48

Por Paulo César Dutra Santana

Paulo Santana

Da Agência Anhanguera

[email protected]

Uma boa conversa, acompanhada de atitudes corretas durante os treinamentos, mudaram o destino de Rhayner, na Ponte Preta. De “carta fora do baralho”, o atacante se transformou em titular e recebeu elogios do treinador Eduardo Baptista depois das boas atuações, na derrota por 3 a 0 para o Santos e na vitória por 2 a 1 sobre o Sport.

“Sempre disse que minha vontade era ficar. Não tive muitas oportunidades no Paulista por causa de contusões, mas queria uma chance de retomar o trabalho aqui na Ponte. Por isso, nunca deixei de treinar e continuei trabalhando como se fosse ser titular no próximo jogo”, conta o jogador.

Rhayner chegou a ficar próximo de acerto com o Santa Cruz ou Vitória. “Antes mesmo de saber dos detalhes dessas negociações, pedi para conversar com o Eduardo (Baptista). Eu não sabia o que ele pensava a meu respeito e queria uma conversa para acertar tudo”, reforça.

Depois da reunião, o atacante ganhou voto de confiança e não decepcionou. “Acho que minha dedicação nos treinamentos serviu para fortalecer a confiança e foi determinante para minha escalação”, diz.

O atacante se espelhou no episódio semelhante que envolveu Nino Paraíba recentemente. Assim como Rhayner, o lateral ficou perto de ser demitido. Mas, com o empenho nos treinos, recebeu nova chance e hoje tem atuado constantemente na equipe.

Segundo o treinador, a decisão de ficar partiu do atacante, que tem contrato até dezembro. “Pela história, qualidade e conquistas que tem, o Rhayner é um jogador muito assediado. Quando chegaram convites, em um primeiro momento resolvi esperar, dei um tempo, deixei para ele e a diretoria resolverem. O Rhayner mostrou que queria ficar e eu gosto das qualidades dele”, comentou Baptista.

Rhayner deverá ser mantido como titular no confronto com o Internacional, domingo, às 11h, no Majestoso. Isso porque Felipe Azevedo segue em tratamento médico.

O lateral Jeferson é outro que deve ficar fora por conta de contusão. Assim, Nino Paraíba segue como dono da camisa 2. O zagueiro Kadu ainda não retorna, mas o volante João Vitor está liberado após cumprir suspensão.

O atacante William Pottker levou o terceiro cartão amarelo e fica de fora. Para seu lugar, Roger foi testado durante o treino de ontem.

Escrito por:

Paulo César Dutra Santana