Publicado 20 de Julho de 2016 - 18h25

Por Jaqueline Harumi Ishikawa

Fotos: Elcio Alves

Jaqueline Harumi

Da Agência Anhanguera

[email protected]

A renovação da outorga do Sistema Cantareira terá nova etapa na próxima semana, quando acontecerão duas reuniões técnicas para análise e debate das propostas encaminhadas no mês passado pelos membros dos Comitês de Bacias Hidrográficas dos Rios Piracicaba, Capivari e Jundiaí (PCJ) e do Alto Tietê, do Instituto Mineiro de Gestão das Águas (Igam) e da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp). Os comitês PCJ afirmam que exigirão garantia de abastecimento para a região.

A Agência Nacional de Águas (ANA) e o Departamento de Águas e Energia Elétrica do Estado de São Paulo (Daee) agendaram o primeiro encontro para a próxima quinta-feira em São Paulo, das 14h às 18h, no Auditório Luiz Musolino da Secretaria Estadual de Saúde, e o segundo no dia seguinte, em Campinas, das 9h às 13h, no Auditório da Coordenadoria de Assistência Técnica Integral (Cati). Conforme o ofício da ANA e Daee, haverá abertura oficial das propostas, seguida de apresentação e debate, o qual permitirá a construção de uma proposta-guia preliminar. Tal proposta deverá ser apresentada em uma terceira reunião até o fim de setembro, quando poderão ser feitas novas sugestões para que até o fim de outubro seja divulgada uma proposta-guia definitiva.

Na última reunião plenária, em 24 de junho, os integrantes dos Comitês PCJ ratificaram a proposta do ano passado com novas reivindicações, dentre elas a garantia de 95% de abastecimento às Bacias PCJ, o prazo de 10 anos de validade da outorga à Sabesp, com revisão obrigatória para avaliação após cinco anos e gestão e vazão progressiva, cuja vazão média anual para as Bacias PCJ deverá ser de 10m³/s quando o volume útil operacional estiver entre 20% e 85%. Neste caso, se a partir de 2020 as barragens de Duas Pontes e Pedreira e seu sistema adutor de água bruta não forem construídos, deverá ser acrescido 1 m³/s anualmente para as Bacias PCJ.

O vice-presidente dos Comitês PCJ, Marco Antonio dos Santos, está cauteloso quanto aos desdobramentos das reuniões. “A posição do comitê é manter a proposta já apresentada e escutar a contraproposta para posteriormente fazer uma análise do que está saindo como proposta-guia”, comentou.

Em meio ao processo de renovação da outorga do Cantareira, a Sabesp obteve a outorga do Sistema Produtor São Lourenço, próxima ao Vale do Ribeira, com captação de até 6,4 mil litros por segundo. O volume é suficiente para abastecer até dois milhões de pessoas da a Região Metropolitana de São Paulo, reforçando e aliviando o abastecimento a partir de outros sistemas, como o Cantareira. O novo sistema deve ser concluído em abril de 2018, com possibilidade de início de operação assistida no fim do ano que vem e investimento de R$ 2,21 bilhões. O contrato de concessão tem duração de 25 anos, divididos em fase de obras e de prestação de serviços.

Pouca chuva

Com o registro de 5,6 mm de chuva no Sistema Cantareira este mês, o nível de água nos reservatórios caiu três pontos percentuais desde o início de julho, operando com 47,4% da capacidade de armazenamento do volume útil desde anteontem. Segundo estatística da Companhia de Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp), o maior e último registro de chuva do mês no Cantareira foi no último domingo, 4 mm, o que não impediu a redução gradativa do volume útil dos reservatórios de 47,7% em 30 de junho para 47,6% na quarta-feira passada, 47,5% no último sábado e por fim 47,4%.

O acumulado de chuva registrado até ontem equivale a apenas 11,24% da média histórica de julho, de 49,8 mm. O cenário é bastante diferente de junho, quando a quantidade de precipitação foi três vezes maior do que a média histórica do mês. Diante do cenário, a vazão do Rio Atibaia anteontem ficou 11,79% abaixo da média histórica na captação da Sanasa, em Valinhos, atingindo 14,26 m³/s, sem no entanto afetar o abastecimento.

Armazenamento do volume útil em julho

1º - 47,7

13 - 47,6

16 - 47,5

19 - 47,4

Escrito por:

Jaqueline Harumi Ishikawa