Publicado 20 de Julho de 2016 - 11h47

Por Delminda Aparecida Medeiros

Três exposições entram em cartaz no MACC

Delma Medeiros

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Com temáticas, estilos, linguagens e suportes diferenciados, o Museu de Arte Contemporânea de Campinas José Pancetti (Macc) abre três exposições simultaneamente hoje: Em Espera, do Museu da Cidade de São Paulo; Arte e Natureza – A Paisagem na Coleção do MACC, com obras do acerco do museu; e Gravuras sobre o Rio Pinheiros, de João Luengo. Em Espera, ganhou o edital de circulação do Programa de Ação Cultural (ProAC) do governo do Estado e as gravuras do João Luengo o edital de exposições temporárias do MACC. “E como todo ano fazemos ao menos uma mostra de peças do acervo do museu, resolvemos abrir as três exposições. Esta é uma prática comum do museu, misturar linguagens e técnicas diferentes e apresentar um panorama da produção contemporânea”, explica Paulo de Tarso Leite do Canto, assessor do museu.

Com curadoria de Douglas de Freitas, Em Espera reúne 22 obras de artistas contemporâneos, a maioria de acervo dos autores e inédita em Campinas. “A mostra traz pinturas, vídeos, esculturas, objetos, fotografias, contemplando várias linguagens. A ideia do título refere-se à suspensão do tempo. As obras colocam o visitante em espera de que algo aconteça”, explica Freitas. Ele cita como exemplo uma obra de Amanda Melo da Mota (São Lourenço da Mata-PB, 1978), um caiaque descascado, como se esperando para entrar no mar. Outro destaque da exposição, segundo o curador, é um vídeo de Tatiana Blass (São Paulo-SP, 1979), apresentado pela primeira vez na 29ª Bienal de São Paulo, que mostra um piano sendo invadido por tinta que o paralisa. Outros artistas da mostra são Ana Sario (São Paulo-SP, 1984), Bruno Faria (Recife-PE, 1981), Guilherme Portela (Rio de Janeiro-RJ, 1978), Laura Vinci (São Paulo-SP, 1962), Marina Weffort (São Paulo-SP, 1978) e Martinho Patrício (João Pessoa-PB, 1964). A exposição faz sua estreia em Campinas e no ano que vem vai para o Museu da Cidade de São Paulo.

Arte e Natureza – A Paisagem na Coleção do Macc tem curadoria de Fernando Bittencourt e reúne peças importantes do acervo do museu. “No acervo encontramos diversidade de linguagens no que se refere à paisagem e natureza. As infinitas possibilidades e caminhos da arte contemporânea possibilitam aos artistas realizarem mundos próprios e complexos, em leituras e releituras ímpares de seu olhar”, afirma Bittencourt.

A mostra traz obras de Francisco Biojone, Marcelo Moschetta, Mariana Palma, Sylvia Furegatti, Edna de Araraquara, Fayga Ostrower, Maria Helena Mota Paes, Antonio Pompeu, Cristina Andrade, Wayne Forte, Geraldo Paranhos e Chico Fransé. “Tema usual dos artistas através dos séculos - paisagem e natureza – é descritiva, onírica, dos viajantes, idealizada, estranha, aconchegante, inspiradora. Obras que de dentro de uma coleção nos mostram as muitas visões e leituras destes artistas”, aponta Bittencourt.

Gravuras sobre o Rio Pinheiros, de João Luengo, é resultado de uma extensa pesquisa visual do artista sobre o espaço urbano do Rio Pinheiros. A coleção é composta por 42 gravuras. As três exposições ficam abertas à visitação pública até 21 de agosto.

Agende-se

O quê: Em Espera; Arte e Natureza – A Paisagem na Coleção do MACC; e Gravuras sobre o Rio Pinheiros, de João Luengo

Quando: Hoje, às 19h. Até 21/8, terça, quarta, sexta e sábado, das 10h às 18h; quinta, das 10h às 22h; domingos e feriados, das 11h às 15h

Onde: Museu de Arte Contemporânea de Campinas – MACC (Av. Benjamin Constant, 1.633, Centro, fone: 2116-0346)

Quanto: Entrada franca

Escrito por:

Delminda Aparecida Medeiros