Publicado 18 de Julho de 2016 - 18h52

Por Carlos Augusto Rodrigues da Silva

Carlos Rodrigues

Da Agência Anhanguera

[email protected]

O primeiro turno do Guarani na Série C do Campeonato Brasileiro não foi marcado por apresentações exuberantes ou domínio total sobre os adversários, mas há um grande mérito que fica como principal lição a ser repetida pelo time na segunda metade da fase de classificação: a regularidade. Apesar de alguns momentos de oscilação, o Bugre foi dono da melhor campanha do torneio nas nove rodadas iniciais e única equipe do grupo B a permanecer na zona de classificação durante todo esse período, o alviverde mantém os pés no chão, mas conta com esse rendimento constante para não perder a vaga nas quartas de final.

O aproveitamento é de 67%. Ou seja, o Guarani somou dois de cada três pontos que disputou. Algo que surpreendeu até o técnico Marcelo Chamusca. “Acho que ninguém, em sã consciência, esperava que o Guarani conseguisse cinco vitórias, três empates e perdesse só uma partida no primeiro turno. Ainda mais porque tivemos uma construção tardia. Temos uma base, mas ainda não encontramos a melhor equipe”, admite. “Fiquei muito satisfeito com o que os jogadores apresentam nesse primeiro momento, mas não conquistamos nada”

E é realmente prudente ter cautela. Isso porque o Bugre tem um exemplo recente disso. Desde 2012, quando a Série C passou a adotar a atual fórmula de disputa, apenas uma equipe que teve a melhor campanha do primeiro turno não conseguiu a classificação: foi o Guarani de 2013, que somou 19 pontos na metade inicial, mas depois perdeu o embalo, fez só cinco no segundo turno e amargou a eliminação.

“Tomara que esse retrospecto não se repita e possamos continuar fazendo boa campanha no segundo turno para alcançar a classificação”, projeta o atacante Deivid. “Não podemos perder o foco. Passamos um momento de dificuldade, conseguimos nos recuperar, mas é agora que se define pra valer os quatro classificados”, completa.

Reapresentação

O Guarani se reapresentou ontem com um jogo-treino dos reservas. A principal novidade foi a presença do lateral-esquerdo Denis Neves. Recuperado de uma lesão na panturrilha, o jogador atuou normalmente e não mostrou nenhuma limitação.

O volante Evandro, que sofreu uma lesão no tornozelo esquerdo no jogo contra o Ypiranga, passou por exames e aguarda para saber a gravidade do problema.

Escrito por:

Carlos Augusto Rodrigues da Silva