Publicado 18 de Julho de 2016 - 18h41

Por Adagoberto F. Baptista

FOTO DA CASA DE REPOUSO TEM NA INTERNET..... DA FACHADA....

Vigilância Sanitária interdita Casa de Repouso no Auxiliadora

A Vigilância Sanitária Leste, da Prefeitura de Campinas, determinou a interdição de funcionamento da Casa de Repouso Laços de Família, que fica localizada na avenida Júlio Diniz, 740, no Jardim Nossa Senhora Auxiliadora. Segundo o órgão, ligado a Secretaria Municipal de Saúde, a unidade que acolhe cerca de 16 idosos em regime de internato em período integral apresenta vários problemas estruturais e não tem alvará de funcionamento. Foi lavrado um auto de interdição pelos fiscais com determinação de transferência de todos os idosos moradores do local. Nota divulgada pela pasta na tarde de hoje, segunda-feira, 18, informa que foi dado um prazo de 7 dias para a regularização das infrações mas que, durante uma vistoria realizada por uma equipe com três fiscais da Vigilância nesse último final de semana, supervisionada pela responsável Maria Therezinha Mendonça, 57, foi constatado que nada do que foi apontado no auto de interdição foi solucionado e a casa continua funcionando normalmente.

"Dessa forma, na última sexta-feira, 15 de julho, a equipe da Vigilância registrou um boletim de ocorrência que será encaminhado para a Secretaria de Assuntos Jurídicos, que levará o caso ao Poder Judiciário", conclui a nota.

Outro lado- A diretora do estabelecimento, Cristiane Indicatti, disse para o Correio na tarde de hoje que está tentando regularizar a situação do alvará de funcionamento, citando que o problema aconteceu por causa de uma vingança feita por uma funcionária que foi demitida. Ela informou que um funcionário não protocolou o alvará de funcionamento em tempo hábil na Prefeitura mas que presta um bom atendimento aos idosos que permanecem no local.

Ela disse que já promoveu diversas melhorias no local e que o último temporal que atingiu Campinas provocou danos nos muros, rachaduras, parcial destelhamento, problemas na fiação elétrica e mofo nas paredes."

Sobre os idosos que ficam no local em regime de internato em período integral, Indicatti disse que eles não são cadeirantes e que passam o dia no local recebendo todo o tipo de assistência, como alimentação adequada, atendimento médico e de enfermagem e atividades de leitura e de socialização.

"Arrecadamos pouco, temos oito funcionários e um gasto fixo mensal com aluguel e folha de pagamento de R$ 15 mil. Não há nenhuma denúncia contra a gente por negligência, considero essa denúncia uma vingança mas nós estamos trabalhando para resolver a situação", concluiu. Até mesmo uma mudança de local de atendimento não foi descartada pela diretora.

Escrito por:

Adagoberto F. Baptista