Publicado 12 de Julho de 2016 - 19h08

Por Raquel Valli

Auditores da Receita Federal do aeroporto de Viracopos estão se programando para o início da greve nacional, agendado oficialmente para esta quinta-feira (14). Reivindicam uma medida provisória assinada pelo presidente Temer para efetivar o acordo assinado em março, pela então presidente Dilma. O documento prevê reajuste de 21,3% na remuneração dos agentes ao longo de quatro anos, bônus de R$ 3 mil até dezembro de 2016 e melhoria nas condições de trabalho. No aeroporto de Campinas passam diariamente 98 toneladas que cargas, que não deixarão de ser desembaraçadas. O trabalho, entretanto, será mais lento por meio de operações-padrão (pente-fino). A greve prevê esse tipo de operação duas vezes por semana (às terças e às quintas-feiras) até que Temer assine a MP.

A movimentação dos fiscais pedia até anteontem que o governo federal enviasse ao Congresso o projeto de lei sobre o documento assinado em 23 de março. Agora, entretanto, não há mais tempo hábil para que os congressistas votem a pauta devido ao recesso branco.

“98% da arrecadação federal são feitas por auditores da Receita. E neste momento de crise econômica o governo deveria estar priorizando a nossa categoria, de acordo com o artigo 32 da Constituição Federal”, afirma o auditor Humberto Melo Patrocínio, secretário-geral da delegacia sindical Campinas-Jundiaí do Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais da Receita Federal (Sinifisco).

Escrito por:

Raquel Valli