Publicado 11 de Julho de 2016 - 17h34

Fotos: Divulgação

Fábio Trindade

DA AGÊNCIA ANHANGUERA

[email protected]

Nem é preciso dizer que o reality culinário MasterChef Brasil é o maior sucesso da Band em anos. Desde a estreia do CQC, lá em 2008, a emissora não tinha tamanha repercussão, apesar de muitas tentativas (como tirar o Pânico da RedeTV!). Exatamente por isso, nada mais natural que a Bandeirantes importasse fórmulas prontas para apostar alto na tentativa de conseguir mais sucessos (e subir na audiência).

Foi então que, aproveitando de sensações como The Voice e The Voice Kids (ambos da Globo), eles anunciaram na grade um dos realities musicais de maior sucesso no Exterior: The X Factor. A emissora conseguir até tirar Fernanda Paes Leme da Globo, depois de 18 anos na casa, para apresentar o programa e, a partir daí, as expectativas para a atração ficaram enormes.

De uma maneira muito dolorosa, entretanto, a Band descobriu que produzir um programa como esse não é nada fácil. As primeiras audições do The X Factor Brasil começaram nesse final de semana no Itaquerão, estádio do Corinthians, e tudo, para as milhares de pessoas que tentaram participar, não passou de um show de horrores.

Os participantes pré-selecionados para as audições começaram a chegar ao local ainda na madrugada de sexta para sábado, porém, precisaram esperar pelo menos 12h em pé, sem qualquer abrigo, no frio e no calor, para passar pela primeira triagem com os produtores. O estudante de medicina Anderson Gonçalves usou uma página do programa no Facebook para contar sua experiência. Ele chegou à Arena Corinthians às 4h30 de sábado e conseguiu pegar a senha 556 às 8h. “Ficaram gravando chamadas com a gente de 8h até 15h, isso sem comer, só distribuindo água vencida, em pé, primeiro no frio que depois virou um sol horroroso e por ai foi. Quando foi umas 16h começaram a chamar a galera pra ser ouvida, enquanto umas 10 mil pessoas do lado de fora ainda esperavam na fila.”

Segundo ele, haviam 15 tendas para avaliações e entravam de três a cinco pessoas por vez. “Cada tenda com um critério diferente, como não tem o perfil, não escolheu uma música boa, estava nervoso, já temos muito sertanejo. Ouvimos isso o tempo todo da galera. Quando entrei o cara me escutou por 20 segundos, isso porque me trocaram de tenda 3 vezes.” Há centenas de relatos iguais ao de Anderson na rede.

Quem passava pelas audições de sábado, era convidado a voltar no domingo para enfrentar o mesmo processo novamente. Dennis Takada, que trabalha em uma produtora musical, diz que ficou das 6h às 17h “na parte de fora da arena até ser chamado e poder ser ouvido”. Ele passou na primeira, mas foi eliminado na segunda audição. “Não fui maltratado em nenhuma das duas audições que participei. Vi pessoas espetaculares passarem e pessoas tão espetaculares quanto não passarem. Enfim, valeu a experiência, mas eu não volto a me inscrever.”

Os rejeitados ganhavam um “X” na mão, que não saía com água, para evitar que voltassem à fila, como descreve Thales Cardoso: “Me perguntaram no metrô, enquanto eu estava voltando tarde da noite o que era aquele ‘X’ na minha mão. Tive que dizer: É que eu fiquei 15 horas dentro de um ônibus do Espírito Santo pra cá para participar de um programa que recebeu dezenas de milhares de participantes e trataram cantores profissionais e amadores talentosos como lixo”.

Isa Bruder, integrante da Galera Capricho, resumiu a experiência como “desumana” e, por isso, mesmo tendo passado, desistiu do processo. “Não podíamos beber água, porque depois teríamos que usar os banheiros químicos, tão sujos que eram inutilizáveis”, afirma. Ela ainda relatou que encontrou pessoas de diversas partes do Brasil no domingo “que não comiam desde o dia anterior, e a produção não autorizou a saída para comprar comida.”

Semi-finalista do The Voice Brasil em 2014, Leandro Buenno foi reprovado no The X Factor Brasil já no início. Ele deu a informação no Twitter e também reclamou da organização. “Posso nem dizer que valeu a pena porque todo processo foi desumano. Mas pelo menos devo ter perdido 2kg. O produtor que me ouviu disse não e completou: você não está preparado para isso.”

A Band foi procurada pelo Correio Popular por e-mail para falar sobre o ocorrido, mas não se manifestou sobre as acusações.

O Programa

O The X Factor, responsável pelo lançamento de bandas como One Direction e Fifth Harmony, foi criado pelo produtor musical Simon Cowell e é exibido em 170 países. A versão brasileira, uma coprodução da Band, TNT e FremantleMedia, estreia na emissora em agosto tendo como jurados o produtor Rick Bonadio e os cantores Paulo Miklos, Di Ferreiro e Alinne Rosa. A apresentação, como dito, é de Fernanda Paes Leme.