Publicado 07 de Julho de 2016 - 17h04

Por Alenita de Jesus

RECADO: Editores, os delegados Roney e José Carlos ficaram de me ligar ainda hoje para passar mais alguma informação nova se tiverem. Eles passaram o dia entrevistando os presos e gente da Protege e estavam até agora.

Alenita Ramirez

[email protected]

Foto: Divulgação

Cerca de 10 horas após prender um rapaz de 20 anos e apreender um adolescente de 17 anos suspeitos de envolvimento no sequestro da família de um vigilante e no roubo de malotes de um carro-forte da empresa Protege, a Polícia Militar (PM) conseguiu recuperar R$ 542 mil. Esse montante, segundo a Polícia Civil, é apenas uma parte do que foi levado pelos criminosos na manhã de anteontem, quando ladrões em um Hyundai i30 preto abordaram o veículo de valores e pegaram os malotes. O assalto foi planejado e para concretizá-lo, os criminosos sequestraram a mulher e o filho de 5 anos do encarregado do carro-forte.

Mais dois suspeitos foram presos em flagrante por receptação e associação ao crime. Lucas Gabriel Lupianhes, de 20 anos, e Jonathan Oliveira Gonçalves, de 22 anos, estavam em uma moto Falcon e carregavam, cada um, uma mochila nas costas, com o dinheiro.

A prisão foi durante patrulhamento de rotina das equipes Força de Atuação em Operações (FAO) e Rondas Ostensivas Com Apoio de Motocicletas (Rocam) no DIC V, em Campinas. Como estavam em uma única moto, carregavam mochilas volumosas e andavam de forma suspeita, os policiais estranharam e foram atrás. Houve perseguição até o Jardim Santo Antônio onde eles chegaram em uma rua sem saída e caíram. A dupla tentou fugir e entraram em luta corporal com os policiais, mas acabaram detidos.

Nas mochilas havia o dinheiro, que tinha lacres das empresas Protege e Prossegur. Os pacotes também estavam com etiquetas de três bancos. Os suspeitos alegaram que tinham sido contratados para levar as mochilas para um homem que os aguardavam na Rodovia dos Bandeirantes.

Segundo a PM, um funcionário da Protege foi na delegacia e confirmou que o número de série que constava nos lacres era da empresa.

Em uma primeira contagem, com base nos dados das etiquetas dos pacotes, segundo o capitão da PM Augusto Paiva, foi contabilizado R$ 586.940,00. Entretanto, ainda segundo Paiva, na 2ª Delegacia Seccional, policiais militares e civis e mais funcionários da empresa de valores fizeram a recontagem do dinheiro, de cédula por cédula, e contabilizaram R$ 542 mil. O dinheiro foi apreendido e levado para um cofre da Delegacia de Investigações Gerais (DIG) e entregue ontem para a empresa.

A ação

O dinheiro foi roubado depois que ao menos seis criminosos renderam um encarregado dos vigias de um carro-forte da Protege, na casa dele, no Jardim Florence, em Campinas. Eles invadiram o imóvel por volta da 1h da madrugada e sequestraram a mulher e o filho de 5 anos do vigia. Mãe e filho foram levados para um cativeiro no Jardim Marisa. Os bandidos ameaçaram matá-los, caso o funcionário não entregasse os malotes.

O assalto foi por volta das 10h, na altura do km 110 da Rodovia Anhanguera, no limite de Campinas com Sumaré, quando o carro-forte comandado pela vítima levava malotes para Americana. O carro de valores foi abordado por bandidos em um Hyundai i30 preto, que fugiram.

Um rapaz de 20 anos e um adolescente de 17 anos foram presos por volta do meio dia quando seguiam para liberar a mulher e a criança, em um Palio branco, na região do Campo Belo. Durante a fuga, a dupla dispensou um celular que era usado para falar com os comparsas, um revólver calibre 38 e uma réplica de metralhadora. Apenas a metralhadora falsa foi recuperada. O caso é investigado DIG.

Escrito por:

Alenita de Jesus