Publicado 21 de Julho de 2016 - 22h58

Por Estadão Conteudo

O ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha: defesa pede desbloqueio de conta-salário à Justiça

Cedoc/RAC

O ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha: defesa pede desbloqueio de conta-salário à Justiça

O deputado afastado e ex-presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), não teve um pedido atendido pela Mesa Diretora da Casa: a mudança para um apartamento renovado. Enquanto tiver mandato, ele terá de viver em um apartamento antigo. “Ele queria apartamento novo, mas não tem. Há fila para apartamento novo”, contou o deputado Alex Canziani (PTB-PR), quarto-secretário da Mesa Diretora, responsável pela administração das moradias dos parlamentares.

Ontem, a direção da Casa assinou um ato que permite com que o peemedebista se mude para um apartamento funcional mesmo não exercendo as atividades parlamentares. Cunha ocupa atualmente a residência oficial da presidência e tem até o dia 6 de agosto para deixá-la disponível para seu sucessor, Rodrigo Maia (DEM-RJ).

A expectativa é de que o deputado afastado deixe a residência neste fim de semana.

Cunha receberá um apartamento antigo que passou por uma pequena manutenção, mas não foi informado o local. O imóvel está sendo pintado para receber o deputado e sua família. A mudança ficará à cargo da própria Câmara, que tem um setor que cuida do transporte dos pertences dos parlamentares quando eles se mudam de uma unidade para outra.

Acabamento de primeira

Os prédios mais disputados pelos deputados ficam na superquadra 302 Norte, no Plano Piloto de Brasília. Além de ficar numa região centralizada da capital federal e próximo do Congresso Nacional, o conjunto de prédios passou por uma grande reforma recentemente. Os 144 apartamentos ficaram praticamente novos e receberam acabamento de primeira linha. Foram trocadas as janelas, o piso e dois dos quatro quartos de cada apartamento foram transformados em suítes, a maioria com banheira de hidromassagem.

Pagamento

Os advogados de Cunha protocolaram um documento no sistema eletrônico da Justiça Federal do Paraná solicitando que o juiz da 6ª Vara Cível da Justiça Federal do Paraná Augusto César Pansini desbloqueie a conta-salário em que seu cliente recebe a remuneração como deputado federal.

O pedido foi protocolado quarta-feira na ação de improbidade administrativa na qual Cunha é réu. No documento, os advogados relataram urgência e que a situação compromete “a sobrevivência” de Cunha e de seus parentes.

No dia 14 de junho, o juiz Augusto Cesar Gonçalves, da 6ª Vara Cível da Justiça Federal do Paraná, decretou a indisponibilidade de recursos financeiros e bens de Cunha. No pedido sobre a conta-salário, os advogados argumentaram que o bloqueio não é previsto pela legislação brasileira. 

Escrito por:

Estadão Conteudo