Publicado 18 de Julho de 2016 - 19h05

Um Grande Garoto (TCM, 15h50, 12 anos), de Chris e Paul Weitz (2002), é um daqueles filmes pequenos (orçamento de US$ 20 milhões de dólares) cujo sucesso triplicou o investimento, pois arrecadou US$ 130 milhões em todo o mundo e chegou a ter o roteiro adaptado indicado ao Oscar — baseado no livro do britânico Nick Hornby. Sim, tem Hugh Grant que faz sempre ele mesmo, mas aqui, ainda que se repita, seu personagem Will é muito legal. A história de viver dos direitos autorais de uma música de Natal é ótima. A propósito de encontrar mulheres, ele adota Marcus (Nicholas Hoult), um sujeito meio estranho que sofre bullying constante dos colegas de escola. Will começa a proteger o menino e ajudá-lo a resolver pequenos e grandes problemas, como o drama da mãe envolvida em onipresente depressão que deixa o filho preocupado. Como é comedia romântica, sabemos o desfecho, mas o mais interessante é a maneira cativante como Will conquista o espectador — assim como Marcus. Um filme simples, mas bem narrado que vale a pena ser revisto.