Publicado 23 de Julho de 2016 - 5h30

Não há motivos para preocupação. Usain Bolt não só estará nos Jogos Olímpicos do Rio, como é candidato a, pela terceira edição seguida, ganhar três medalhas de ouro. As dúvidas com relação à forma física do astro jamaicano foram sanadas ontem, quando ele ganhou os 200m na etapa de Londres da Diamond League, na mesma pista em que brilhou há quatro anos.

É bem verdade, entretanto, que Usain Bolt não fez nenhuma marca impressionante no cronômetro, nem mostrou a facilidade usual para completar a prova. Pelo contrário. O jamaicano, que costuma sempre deixar a impressão de que só não fez mais porque não quis, dessa vez não diminuiu o ritmo. Fez um tempo que o faria quarto colocado na Olimpíada de Londres.

Usain Bolt venceu com 19s89, resultado que o coloca em quinto no ranking mundial. À frente dele estão os três norte-americanos que se classificaram para correr essa prova no Rio: LaShawn Merritt (19s74), Justin Gatlin (19s75) e Ameer Webb (19s85 em Doha e 19s97 na seletiva americana). Há se considerar, entretanto, que os três participaram de uma prova muito mais forte e decisiva do que o "treino" de Bolt ontem.

Em Londres, Usain Bolt foi seguido pelo panamenho Alonso Edward, que marcou 20s04, e pelo britânico Adam Gemli, que fez 20s07. O espanhol Bruno Hortelano bateu o recorde nacional, 20s18, ao completar em quarto. No ranking mundial, Bolt também aparece atrás de Miguel Francis, revelação de 21 anos de Antígua e Barbuda, que tem 19s88.

Faltando duas semanas para o início da Olimpíada do Rio, caiu ontem um dos mais duradouros recordes mundiais do atletismo: dos 100m com barreiras. Em uma prova impecável, no estádio olímpico utilizado nos Jogos de 2012, a norte-americana Kendra Harrison marcou 12s20 e melhorou em 0s01 o recorde que pertencia à búlgara Yordanka Donkova desde 1988.

Prata do Brasil

O revezamento 4x100 metros feminino do Brasil mostrou ontem que deverá brigar para fazer final nos Jogos Olímpicos do Rio. No último grande teste antes do Rio-2016, as brasileiras ganharam a prata do Meeting de Londres. O problema é que a Grã-Bretanha ficou muito à frente.

O Brasil fez o quinto melhor tempo do ranking mundial de 2016 com 42s59, o suficiente para deixar para trás a França (42s82), a Suíça (43s43) e a Polônia (44s14). Holanda e Canadá foram desclassificadas. Todas essas equipes estarão no Rio-2016. Escalado com Bruna Farias, Kauiza Venâncio, Ana Cláudia Lemos e Rosângela Santos, o Brasil fez o seu melhor resultado desde que bateu o recorde nacional em 2013, com 42s29. Só que a marca de 42s59 não deverá ser suficiente para se aproximar do pódio no Rio-2016. (EC)