Publicado 23 de Julho de 2016 - 5h30

Após cerca de uma hora e meia de reunião na sede da Associação de Futebol Argentino (AFA), ontem, o técnico do São Paulo, Edgardo Bauza, saiu sem saber seu futuro. Ele participou de uma espécie de entrevista de emprego em que outros técnicos também serão ouvidos para que os dirigentes definam quem assumirá a seleção argentina. Depois da reunião, o atual comandante são-paulino disse que seria lindo dirigir a seleção.

"Já manifestei que tenho muita vontade de assumir a seleção e que seria um desafio muito lindo. Não tenho ideia se estou perto da seleção, isso quem tem que definir são os dirigentes. Estivemos uma hora e meia reunidos falando sobre ideias e sobre futebol", disse Edgardo Bauza, que atendeu aos jornalistas na frente da sede da AFA.

Além do treinador são-paulino, os dirigentes da AFA conversarão com outros candidatos, casos de Miguel Ángel Russo e Ney Pumpido, os dois principais concorrentes de Edgardo Bauza. Existe também a intenção de falar com Diego Simeone e Jorge Sampaoli, mas ambos estão empregados na Europa (no Atlético de Madrid e no Sevilla, respectivamente).

Edgardo Bauza não esconde de ninguém que assumir a seleção argentina é seu grande objetivo. "Certamente seria o desafio mais importante da minha carreira. Para coroar minha carreira, quero ser campeão na seleção. Tomara que dê certo para que eu possa fazer o melhor", disse.

Já pensando em como montaria a seleção, a primeira coisa que Edgardo Bauza faria é conversar com Messi e tentar convencê-lo a desistir da ideia de não defender mais o time nacional. Enquanto espera por uma resposta, Edgardo Bauza continua trabalhando no São Paulo e está confirmado no banco de reservas para a partida com o Grêmio, amanhã. (Estadão Conteúdo)