Publicado 22 de Julho de 2016 - 5h30

O técnico Marcelo Chamusca não poderá repetir, contra o Guaratinguetá, no domingo, o time que venceu na última rodada. Com os desfalques de Evandro, lesionado, e Pipico, suspenso, o treinador testa alternativas, mas ainda não definiu completamente o Guarani que começa o jogo.

Basicamente, são de quatro a cinco jogadores brigando por essas duas vagas. Na posição de volante, a disputa está restrita a Alex Santana e Zé Antônio. Nos últimos dois dias, cada um deles iniciou um treino. Com o primeiro, o time ganha mais força na transição, enquanto o segundo, por ter um passe mais refinado, dá qualidade superior à saída de bola. “Tenho trabalhado nessa função e estou bem ambientado”, disse Alex Santana, que é meia de origem, mas, desde que chegou ao Bugre, tem sido utilizado como segundo volante.

No lugar de Pipico, a disputa é um pouco mais concorrida e a escolha do técnico Marcelo Chamusca pode mudar a característica do time jogar.

Alex Santana também pode aparecer exercendo essa função, o que fortalece o setor na marcação e deixa o time um pouco menos vertical. Foi assim que ele iniciou a atividade com bola ontem. Na quarta-feira, foi Marcinho quem recebeu a oportunidade. Com ele, a equipe ganha em posse de bola, mas fica mais lenta.

Também foram testados Renato Henrique e Elielton, que, por característica, é quem mais se aproxima do estilo de jogo de Pipico.

As dúvidas devem ser sanadas hoje, quando o Guarani faz mais um treino. O restante da equipe está praticamente definido. Na defesa, sem nenhum problema, Leandro Santos segue no gol, com Lenon na direita, Ferreira e Leandro Amaro como dupla de zaga e provavelmente Gilton na esquerda — apesar de treinar normalmente, Denis Neves só foi utilizado entre os titulares em alguns minutos dos últimos treinos.

No meio, Auremir está confirmado à espera de seu parceiro como volante, enquanto Deivid e Fumagalli ficam mais à frente e Éverton segue como referência. (Carlos Rodrigues/Da Agência Anhanguera)