Publicado 13 de Julho de 2016 - 5h30

A primeira derrota na Série C do Campeonato Brasileiro desencadeou tudo o que o Guarani ainda não havia vivido no torneio. A queda da invencibilidade para o Mogi Mirim, que apesar de não tirar o time da liderança, aumentou o jejum do Bugre para três partidas e permitiu a aproximação dos concorrentes, transformou um clima que era tranquilo em um início de instabilidade.

Tudo resolveu aparecer praticamente de uma só vez. Começou ainda na noite de segunda, em Mogi, com as primeiras cobranças fortes da torcida, que vaiou os atletas e chamou a equipe de sem-vergonha. Ontem, veio à tona um indício de atraso no pagamento de premiações aos jogadores. Segundo o combinado, a cada ponto conquistado, o grupo receberia R$ 5 mil. “É uma situação que foi conversada e não influenciou de maneira nenhuma”, disse o atacante Pipico. “Independentemente disso, entramos em campo para ganhar os jogos. Deixamos essa parte para a diretoria”, completou o jogador.

Durante o treino, o presidente Horley Senna foi ao gramado e, na boca do vestiário, conversou em particular por alguns minutos com Fumagalli e Pipico. Minutos depois, o clube confirmou que a premiação aos atletas foi paga, bem como o salário.

Sobre o momento do time, Pipico pediu tranquilidade e disse que a atuação contra o Mogi Mirim precisa servir de aprendizado. “Foi um dos piores jogos que a gente fez, não conseguimos produzir o que trabalhamos nessa semana”, opinou. “Ninguém esperava, mas aconteceu. Vamos ver o que o professor vai passar durante a semana para acertar o que erramos e, no domingo, fazer um jogo totalmente diferente e reverter a situação”, explicou o atacante, em referência ao compromisso contra o Ypiranga, que acontece no Brinco.

O atacante ainda disse que o time precisa se fechar para impedir que a situação piore. “Temos que estar mais unidos para superar isso. Não é porque perdemos que está tudo errado ou tudo ruim. É levantar a cabeça e buscar os três pontos em casa para trazer o torcedor de volta ao nosso lado”.

Depois de um trabalho com bola apenas com os reservas e não-relacionados ontem, o técnico Marcelo Chamusca inicia hoje a preparação para o próximo jogo. O lateral-esquerdo Denis Neves segue como dúvida. Quem deve se apresentar nos próximos dias é o meia Renatinho, que tem negociação avançada com o clube e cuja chegada em Campinas pode acontecer hoje. (Carlos Rodrigues/Da Agência Anhanguera)