Publicado 10 de Julho de 2016 - 5h30

Sobrou para os reservas do São Paulo a tarefa de reanimar o clube depois do abatimento causado pela derrota na primeira partida da semifinal da Copa Libertadores. Pelo menos a missão não aparenta ser difícil, pois o adversário é o lanterna América-MG hoje, às 16h, no Morumbi, pela 14 rodada do Campeonato Brasileiro.

O técnico Edgardo Bauza vai repetir a estratégia de poupar os principais jogadores para o confronto com o Atlético Nacional. Horas depois da partida no Morumbi com o América, o elenco embarca em voo fretado até Medellín para a difícil missão de reverter a derrota por 2 a 0 na última quarta.

A ordem no elenco é de buscar um resultado positivo contra o lanterna. "Uma vitória boa traz moral e confiança para a sequência, mesmo sendo competições diferentes", disse o atacante Alan Kardec.

Somente três jogadores titulares na derrota de quarta-feira devem começar a partida com o América-MG: o goleiro Denis, o volante Wesley e mais o zagueiro Maicon, que cumpre suspensão na Colômbia depois de ter sido expulso no primeiro jogo.

A escolha do técnico argentino por poupar os principais jogadores abre chances para dois estrangeiros. O peruano Cueva, fora da Libertadores por já ter atuado pelo Toluca, será titular junto com o argentino Centurión, que cumpria suspensão no torneio continental por cuspir em um adversário. O volante Hudson volta a ser titular após um mês e meio. O jogador teve estiramento na coxa esquerda.

"Precisamos recuperar a confiança e os pontos que nós perdemos nos últimos jogos. É a hora de reagir antes de viajar para a Colômbia", disse o zagueiro Rodrigo Caio.

A partida antecede uma sequência difícil para o São Paulo. Ao voltar de Medellín, o time vai enfrentar o Corinthians como visitante no clássico no Itaquerão. Depois, o compromisso será em Porto Alegre, contra o Grêmio. (Estadão Conteúdo)

SÃO PAULO

Denis; Auro, Maicon, Lyanco e Carlinhos; Hudson, Wesley e Cueva; Centurión, Alan Kardec e Luiz Araújo.

Técnico: Edgardo Bauza.

A FRASE

“Tenho seguido o Rodrigo Caio há dois anos. Estamos negociando.”